Blog, É Fogo, Eu Sou Cultura

O coringa existe, e eu o conheço

By

A primeira sensação que eu tive quando assisti o Coringa e vi o Arthur Fleck, é que “já vi essa história antes”.

Toda semana estou dentro da Fundação CASA, e não é muito difícil encontrar histórias tão parecidas como a do Arthur.

{CONTÉM SPOILER}

Um rapaz que nunca teve uma família estruturada, uma mãe que ele precisa cuidar, e que no decorrer da trama, mostra o quanto possui problemas psíquicos.

Essa é a primeira característica em comum, dos jovens que encontramos cumprindo medida sócio educativa, não temo em dizer que 99% possui problemas familiares. Ou, é a falta da presença um pai, ou abusos psicológicos, físicos, sexuais e até mesmo, abusos sociais. Fora os pais envolvidos no mundo do crime que somam a estrutura familiar desses jovens.

Quando não, em algumas situações, possuem todos esses juntos, como é o caso do Coringa, e de muitos que conheço.

Em três anos de missão, em diferentes unidades, conhecendo inúmeras histórias, posso te afirmar que até hoje não conheci nenhuma que possuísse uma família estruturada e sólida. E, muito menos uma família cristã.

Eis o primeiro problema do Coringa, sua família.

Ninguém nasce sendo Coringa

Alguns psiquiatras defendem que alguns já nascem psicopatas, ainda com uma certa ignorância sobre o assunto, discordo.
O que podemos dizer é que alguns nascem com tendência psicopáticas, tanto pela genética, quanto por traumas desde sua concepção.
Porém, essa tendência pode ser controlada e cuidada. E assim, revertida. Nenhuma tendência, ainda que genética, pode nos condenar para o resto da vida. Até disso o Cristo quer nos libertar.

O problema em questão é, alguns nascem com tendências psicopáticas, ou sofrem alguns traumas que ocasionam a mesma. Só que não há estrutura social que cuide dessas pessoas, e a situação só piora.
Foi o caso do Arthur, sua mãe nunca contou a verdade sobre a sua história, e nem podia devidas as suas psicopatias, o que dificultou um tratamento adequado.

O acompanhamento que ele fazia com uma assistente social é cortado por falta de verba governamental, e ele fica sem seus remédios e sem nenhuma assistência. (Qualquer semelhança é mera coincidência, tá?)

A máscara da realidade

Um menino que foi abusado quando criança, apanhou do padrasto e em meio ao trauma foi estabelecida a sua missão de vida, ou melhor, a missão que sua mãe o deu. Que era dele estar sempre sorrindo.

Claramente isso não era verdade, e isso é ilustrado brilhantemente no começo do filme, com ele se maquiando em frente ao espelho, quando força um sorriso e ao mesmo tempo uma lágrima cai de seus olhos.

Um sorriso em meio a lágrimas, essa era a verdade daquele homem, mas ninguém estava olhando para aquilo. Apenas para a maquiagem ali colocada, que impedia os olhares rápidos de transcender a verdadeira realidade daquela pessoa.

Sim, o Coringa é uma pessoa. O óbvio parece ser esquecido, não? Mas, ele é uma pessoa.
Aquelas meninas que estão presas e encontro toda semana, são pessoas.

Só que quantas vezes deixamos de olhar para esses como pessoas?
E em sua reclusão tudo parece que é feito para que se esqueçam que são pessoas.
Aqui está a máscara da realidade, olhamos para um ato criminoso e condenamos por esse ato exclusivamente, esquecendo todo o resto que o fez chegar até ali.

A condenação é justa, mas sem um olhar para a história, a única coisa que será gerado quando esses saírem da reclusão, será reincidência, pois não foi olhado para a realidade de cada indivíduo. Apenas para o sorriso que estava no rosto, e não para a lágrima que caía.

O mal vence, o Coringa nasce

A minha maior dor nesse filme, é o seu final, e ver que dessa vez, o mal venceu. E o pior, por conta de sua história, justificamos esse mal e concordamos com ele. Afinal, faz sentido, olha tudo que o Coringa passou.

NÃO! Essa história não deve gerar conformismo em nós, deve gerar, na verdade, inquietação.

Na noite que assisti o filme, não consegui dormir direito, Deus estava me mostrando as nossas meninas, e em desespero dizia a Ele, nos ajude a cuidarmos delas para que não virem Coringas. Por favor Jesus!

E ao mesmo tempo, eu sentia a dor no coração de saber que muitas já são, e que agora só resta suplicar por misericórdia por elas.

Na nossa história, o mal não vence

Não acreditamos em “viverão felizes para sempre” como nos filmes encantados. Acreditamos em Jesus, que morreu na Cruz para nos salvar.

Jesus venceu a morte. Jesus venceu a Cruz. Ele venceu a desobediência. Selou a nossa alforria na Cruz. Venceu a tendência humana pecaminosa, pois Ele como Homem, viveu de maneira Santa!
Aqui está o nosso final feliz, é aqui que o bem vence o mal.

Ninguém apresentou saídas para o Coringa. Talvez, se uma pessoa tivesse feito a diferença na sua vida desgraçada, ele teria seguido um caminho diferente.
E hoje, me sinto agraciada, porque Deus me escolheu e me chamou para anunciar uma saída àquelas meninas da Fundação CASA, antes que se tornem novos Coringas.

A saída é o amor. E essa frase tão curta, tem tanto para dizer.

Apenas isso, a saída é o amor!

Encontramos meninas na Fundação CASA, e ainda que seja uma realidade ruim, acredite, é bem melhor do que no presídio. É aqui que o Senhor nos leva para que o mal não vença na história daquelas meninas. Chegamos antes delas adentrarem no presídio, e que nunca adentrem.

Eu sai desse filme angustiada, atemorizada, desesperada.
Mas o Jesus que me escolheu e que eu aceitei, o carisma que me possui, me faz olhar para essa realidade e ter esperança e inquietação no coração.
Não foi o primeiro Coringa que vi, e com certeza não será o último, mas diante dessas histórias, meu coração como um coração Cristo Libertador não fica conformado. Fica inquieto para anunciar a Salvação!
Nós, Comunidade de Aliança Cristo Libertador, somos esses que anunciam a salvação para esse povo. Uma saída para que o bem vença o mal.

O resultado será mais Santos, e menos Coringas.

O Cavaleiro das Trevas

 

Uma tempestade na Fundação CASA

Hulk sim! Professor Hulk não!

Inscreva-se no nosso canal do Youtube e veja todos os vídeos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

This error message is only visible to WordPress admins

Error: API requests are being delayed for this account. New posts will not be retrieved.

There may be an issue with the Instagram Access Token that you are using. Your server might also be unable to connect to Instagram at this time.

Error: No posts found.

Make sure this account has posts available on instagram.com.