Arte e Cultura, Blog, Discípula Livre

Era uma vez um junípero

By

Elias vai até o Junípero. Talvez para alguns uma árvore qualquer, mas para Elias, a árvore que foi sinal da grande permanência e fidelidade de Deus.

A árvore

Há poucos dias o Senhor me levava a reflexão sobre Elias e o Junípero.

“Elias teve medo, e partiu para salvar a sua vida. Chegando a Bersabéia, em Judá, deixou ali o seu servo, e andou pelo deserto um dia de caminho. Sentou-se debaixo de um junípero e desejou a morte: Basta, Senhor, disse ele; tirai-me a vida, porque não sou melhor do que meus pais. Deitou-se por terra, e adormeceu debaixo do junípero.” I Reis 19, 1-8

Mas porque um junípero? Em algumas imagens vemos que o junípero é uma árvore inclinada, que muitas vezes as suas folhas podem até tocar o chão.

Deus é um junípero

Quantas vezes Deus é este junípero para nós? Que se inclina diante das nossas dificuldades, dos nossos medos, de nós mesmos, para assim ser um lugar de descanso, um lugar seguro.

Aqui cabe também a reflexão de quantas vezes fomos junípero aos irmãos a nossa volta? Será que fomos de fato um lugar seguro, onde pelo menos por um instante eles puderam descansar?

No livro de Eclesiástico diz que quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro!  Que grande tesouro é descansar debaixo desta árvore chamada amizade, que certamente é cuidado de Deus para nós!

Deus não abandona

Assim como aquele junípero também foi lugar de descanso, foi lugar de encorajamento também para Elias. Quando Deus enviou o anjo e disse: “Elias, levanta e come!”

O mesmo Deus que se inclina cuidando de nós, permanecendo fiel e nunca nos abandonando é o mesmo Deus que também nos impulsiona e nos encoraja a prosseguir, afinal, a missão não acabou!

O junípero é um lugar de passagem e não de permanência, se hoje você precisa se abrigar debaixo dele, vá. Mas saiba que a pouco o anjo estará a porta te lembrando da sua missão, dos propósitos, e você não poderá mais permanecer deitado diante disso. De pé, em ordem de batalha, prontos para a missão!

Deus envia o anjo como resposta as orações, daquelas sete mil pessoas que não se dobraram a Baal, Deus envia o anjo como resposta aquela viúva de Sarepta que viu o milagre da providência frente aos seus olhos. Deus envia o anjo como uma resposta de esperança, para toda a desolação, medo, tristeza que Elias sentia naquele momento.

Tudo isso para dizer que… Deus ouve as suas orações e inclina os ouvidos diante de ti. O anjo logo chega, esteja pronto a dizer sim!

Deus abençoe você!

Leia mais:

A raiz do seu cansaço é o seu egoísmo

Que tipo de enfermo você é?

Assinatura Van

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.