demonstrando que a vida é um sopro
Blog, É Fogo

A VIDA É UM SOPRO MESMO, e está tudo bem!

By

Se você possui alguma rede social e vive no planeta terra, com certeza você viu nos últimos dias alguma postagem dizendo “a vida é um sopro”.

A cada ano falecem cerca de 56 milhões de pessoas, isso dá cerca de 153.424 mortes por dia. De causas variadas, familiares e amigos se despedem de um ente querido, ora já esperado, ora pegos de surpresa.

Na semana passada, mais um caso público pegou todo o país de surpresa, a morte da cantora Marília Mendonça, aos seus 26 anos que sofreu um acidente de avião e faleceu no local.

O impacto de uma morte tão repentina leva a todos refletirem sobre a vida, e muitos encherem em seus posts com a famosa frase “a vida é um sopro”.

Não há nada de errado no sopro

Tão breve celebramos o Dia de Finados, e já naquele dia 02 de novembro eu meditava sobre a morte, e agora diante dessa situação, a única coisa que vinha em meu coração todas as vezes que lia: “a vida é um sopro”. Era uma resposta:

TUDO BEM SE A MINHA VIDA FOR UM SOPRO.

De fato, a vida é um sopro.

“O Senhor Deus formou o homem do pó da terra e insuflou-lhe pelas narinas o sopro da vida, e o homem tornou-se um ser vivo.”

Gn 2,7

Sem esse sopro, não teríamos vida humana. Não quero me aprofundar aqui, mas se formos estudar sobre antropologia, um ser humano só existe a partir da união de um corpo (que é a matéria) e da alma (que nesse caso da passagem de gênesis é o sopro que relata).

Foi o sopro de Deus insuflado em minhas narinas que me trouxe vida humana. Do pó da terra Deus formou apenas um corpo, do sopro Ele formou uma VIDA.

“A antropologia bíblica distingue no homem não tanto o ‘corpo’ e a ‘alma’ quanto ‘corpo’ e ‘vida’. O autor bíblico apresenta aqui a entrega do dom da vida mediante o ‘sopro’, que não deixa de ser propriedade de Deus: quando Deus o tira, o homem voltam ao pó, do qual foi feito.”

(SÃO JOÃO PAULO II. Teologia do Corpo. Na própria definição do homem está a alternativa entre morte e imortalidade. Cáp.07)

Propriedade de Deus

Nessa definição de São João Paulo II, o que mais me chamou atenção, e que exprime exatamente o que estava sentindo, é o que negritei na citação.

Esse sopro é propriedade de Deus. Então, quando dizemos “a vida é um sopro. Na verdade, estamos dizendo: A vida é propriedade de Deus.

Diante disso, onde está a problemática?

O mundo se esqueceu do princípio, esse princípio que é o Gênesis de nossa criação. Sendo assim, dizer que a vida é um sopro se tornou um discurso angustiante, que muitas vezes só quer dizer que a vida passa rápido demais e que a morte é uma traiçoeira que nos pega de surpresa. Que tristeza!

Tudo isso se dá pois esquecemos do autor do sopro. Sem o autor, a obra (nesse caso, a vida), deixa de encontrar seu sentido pleno, se perde, encontra-se um grande vazio. Ou seja, gera angústia.

A angústia está em esquecer o autor do sopro.

Guiada pelas entranhas de Deus

Se formos ainda mais profundos em uma meditação acerca do assunto, podemos pensar, o que é o sopro ou o ato de soprar?

O sopro é esse ar que sai de dentro de nós.

Se Deus soprou sobre nós, a partir desse ato, somos o sopro que saiu de Suas Entranhas. Entranhas de vida. Em Deus há toda a vida, Ele é o detentor de toda existência, só Dele poderia sair esse sopro, não por ser algo que simplesmente se esvai de maneira rápida. Mas por ser algo que vem de Dentro Dele mesmo.

O sopro de vida é a partilha das entranhas de Deus, entranhas de Deus como bem conhecemos, podemos definir com uma palavra: MISERICÓRDIA.

Chegamos aqui então a conclusão, a minha vida é um sopro, uma manifestação grandiosa da misericórdia de Deus.

O ato de dar vida é manifestação da misericórdia de Deus. O ato de insuflar em nossas narinas é misericórdia de Deus, o sopro que sai de suas entranhas.

Eu quero ser o seu sopro

Diante de tudo isso, eu só posso rezar: “Eu quero que minha vida seja um sopro. Um sopro de Deus!”

E assim, minha vida toda será guiada por Ele, a morte não será um acidente desprevenido, ainda que seja por uma situação tão trágica.

Para sempre, esse sopro será propriedade de Deus, quando morrer, o corpo voltará ao pó, mas a alma voltará para Deus. Pois, se meu corpo Ele fez do pó da terra, minha alma, Ele fez do sopro de Si mesmo, por isso, é eterna (insuflou-lhe pelas narinas o sopro da vida), e para sua origem voltará. Assim, como, meu corpo também voltará para sua origem.

Eu desejo ser um sopro de Deus, de forma que eu não sei para onde vou e como vou, sou guiada apenas por esse “Ruah”, que sai de Sua boca.

Leia mais: 

Reze pela esperança dos idosos. É urgente!

A confiança se encontrou com a misericórdia

Se você deseja contribuir com as obras de evangelização de nossa comunidade, seja amigo de nossa obra.

Giovana Belini, escritora do texto, agraciada por Deus, apóstola, pregadora, feliz por viver sua vocação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.