A alegria da Cruz
Blog

A alegria da Cruz

By

No último Horeb nós experienciamos a via sacra e o Senhor me falou sobre a alegria da Cruz quando eu fui impulsionado a carregá-la por algumas estações.

 

A dor da Cruz

Olhar para a via sacra e para a cruz sempre foi uma dificuldade para mim, meu olhar limitado enxerga dor, sofrimento, culpa e morte. Minha visão pusilânime só enxerga as feridas que eu causei.

E sempre que ouvi dizer que o Cristão deve assumir o outro lado da Cruz, que o discípulo deve se assemelhar ao mestre, eu entro num estado de assombro interno e pouco consigo elaborar essas palavras.

 

A alegria da Cruz

Mas nesse dia, naquela via sacra eu entrei justamente nesse assunto com o Cristo enquanto eu carregava simbolicamente aquela cruz e vestia aquela coroa de espinhos.

Perguntava: “como o Senhor pôde suportar o peso do mundo neste madeiro?” E depois de um tempo algo foi ficando claro na minha mente.

O peso da Cruz era suportado pela alegria de estar fazendo a vontade de Deus.

Mesmo nas ofensas, mas calúnias, na dor, no suplício, no carregar da Cruz, nas chagas das mãos e dos pés, nas horas pendurado, no abandono e na morte havia um enorme consolo: estar fazendo aquilo que deveria ser feito, estar cumprindo a missão pessoal, estar vivendo a vontade do Pai.

 

Me chamou à alegria da Cruz

Em seguida, após entender isso da parte dele, ficou claro pra mim também a minha parte nessa história.

Não tinha uma visão holística dos desafios deste ano, mas já enxergava alguns, que somados constroem-se como em uma cruz para mim. Este é o ano das podas.

E olhando para essa cruz o Senhor me convidou a carregá-la alegremente na consolação de estar fazendo o que precisa ser feito.

 

As quedas no caminho

Isso já bastaria para eu seguir firme e forte a minha jornada, eu sei. Entretanto, lembra da visão limitada que eu citei no começo do texto? O desafio de vencê-la é grande.

Quando alguma dor chega, um incômodo entra e permanece, uma falha dá as caras etc., eu facilmente me esqueço da consolação e perco a rota.

Quem convive comigo percebe claramente e o processo de retomada nem sempre é dos mais rápidos. Com isso eu falho nas minhas obrigações, ministérios, relações e deveres.

 

Retomar e seguir

Este sou eu, na luta por me erguer sempre e tentando encontrar outras maneiras de abrir melhor meus olhos e ouvidos à alegre consolação da Cruz para não me deixar levar pelos incômodos da vida.

 

Leia também:

 

Assinatura: Danyel Cayetano, brother adotivo e discípulo de Jesus, crítico cultural renomado (por mim mesmo). Se for para bater uma bola, conversar, rezar, assistir algo, comer ou combinar alguns desses itens, pode me chamar que eu chego com os refri! #EuSouCultura

cristolibertador.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.