Blog, Formação, Palavra de Fundador

Você tem o costume de se planejar para a Páscoa?

By

Sabia que a quaresma é este tempo salutar, para que nós possamos nos converter mais, e estarmos um pouquinho mais puros para a vivência da semana santa, e sobretudo para celebrarmos a paixão, morte e ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo?

Páscoa feliz, não é uma festa cheia de chocolates, doces e comilança em família. Páscoa feliz é aquela que gera conversão e, por consequência, santidade em nós, afinal, foi para isso que Jesus morreu na cruz, para que pudéssemos ter vida e vida em abundância (Jo 10,10).

Em uma vida sem conversão não há abundância, há apenas morte.

A preparação para a quaresma

Antigamente, nossa Igreja celebrava a pré-quaresma, um tempo de preparação para o início da quaresma.

Este tempo do rito romano pré-concilio Vaticano II tinha por objetivo alertar os fiéis para a proximidade deste período tão importante, e assim, as penitências, jejuns e demais práticas seriam pensadas bem antes, com cautela e atenção, e não de qualquer jeito nas vésperas da quarta-feira de cinzas.

Hoje, no ano litúrgico pós conciliar este período foi suprimido, todavia, é necessário que proativamente nos antecipemos e pensemos como viveremos nossa quaresma, para que com um bom planejamento, possa haver uma boa execução, e os resultados de santidade sejam atingidos.

Leia mais sobre a pré quaresma: O que é a Septuagésima?

Como a última quaresma

“Passemos esta quaresma como se fosse a última e tiraremos um bom proveito”

São Francisco de Assis

Muitos santos da nossa Igreja ensinam que muitas graças podem ser colhidas na quaresma, é um tempo propicio onde as comportas do céu estão abertas para inundar nossas vidas.

Basta esticarmos nossas camisetas, como as crianças fazem em baixo dos bexigões de doces nas festas infantis.

Por isso devemos nos preparar antes da quaresma iniciar, grandes graças são prometidas para nós.

É tempo de luta, de se levantar, agir, lutar, porque grandes prêmios exigem grandes esforços.

Terapia das doenças espirituais

Aqui em nossa comunidade estamos trabalhando a “terapia das doenças espirituais” em nossas formações.
À medida que estudados cada um dos sete pecados capitais, olhamos para si e identificamos os demônios que ainda agem em nossas vidas.

É claro, que o objetivo de tudo isso é a nossa libertação, porém não basta apenas pedir por libertação, é necessário trabalho para que estas mazelas de nossas almas sejam extirpadas de nós, e deem lugar às suas virtudes opostas.

Afinal, não queremos apenas parar de pecar, queremos ser santos.

Não basta deixar de fazer o mal é preciso praticar o bem.

A luta virtuosa contra cada pecado

Aprendemos que para cada pecado capital, Jesus nos dá um conselho evangélico (castidade, pobreza e obediência) e uma prática penitencial (oração, jejum e esmola). Ambos, colaboram para que sejamos livres destas escravidões oriundas do pecado original.

O Senhor vem em nosso auxílio através de graças atuais para que de viciados nos tornemos homens virtuosos, está é Sua santa vontade.

  1. Contra os pecados da gula, luxúria e avareza, que desordenam os nossos desejos o conselho de Jesus é a CASTIDADE, e a prática penitencial é o JEJUM. Prática esta que pode se desdobrar em ABSTINÊNCIAS e MORTIFICAÇÕES, que visam a purificação da concupiscência da carne.

 

  1. Contra os pecados da ira e da preguiça, que bagunçam nossos sentimentos e emoções, nosso Divino Mestre nos aconselha a POBREZA e a dar esmolas.  Desapego e doação de si, eis as palavras de ordem para quem deseja ter uma mente santa, e os afetos purificados.

 

  1. Contra os pecados da inveja e da soberba, que objetivam a destruição de nosso espírito, e por consequência nossa ruptura com o nosso criador, o conselho de Jesus é a OBEDIÊNCIA e muita, mas muita ORAÇÃO. Estes foram os pecados de Lúcifer e seus seguidores e são os mais complicados de serem vencidos.

Não somos filhos órfãos, e nosso Deus, através de Jesus seu filho primogênito, nos dá as chaves para a vitória.

Não chaves das quais ele apenas ouviu dizer e por isso indica, mas de chaves que Ele usou em sua vida encarnada, Ele foi casto, pobre e obediente, jejuou, deu tudo de si, e orou muito, por isso venceu o mundo (Jo 16,33) e quer que vençamos também.

O conteúdo na prática

Com tudo isso de informação, para que gere frutos em nossas vidas, precisamos colocar em prática.

Aqui, convidamos a você fazer um exercício nessa quaresma.

Identifique os pecados que infestam sua alma, em cada uma destas categorias citadas acima, e busque práticas penitenciais para viver, que combatam diretamente cada pecado em sua vida.

Por exemplo: se verificou que um dos pecados é a luxúria, que você proponha a fazer a abstinência de algo, ou mais jejum nessa quaresma.

Se é com a gula, que você proponha horários e quantidades limites para comer.

 

Valide suas práticas quaresmais com seu diretor espiritual, se você não tem um, o primeiro exercício para sua quaresma é conseguir um.

Tá difícil de arrumar um orientador? Valide com seu confessor ou um padre de sua confiança. Não deixe a quaresma te pegar de calças curtas.

Queremos uma páscoa de 2020 santa e feliz, mas mais do que isso, queremos colher neste tempo de penitência, e posteriormente no tempo pascal as infinitas graças reservadas para nós, de modo que possamos ser santos hoje, e um dia realizarmos definitivamente nossa Páscoa final!

Não perca tempo, planeje-se. E que a concretização deste plano seja um santo, ou uma santa!

 

Leia mais:

Quatro passos para ser livre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.