Blog, É Fogo, Sede Fecundos - Pais e Filhos

Sexo na gravidez, um grande dilema!

By

Sexo na gravidez, por que um dilema tão grande?

Inúmeras vezes já escutei relatos de casais que depois que a mulher engravida, não possuem mais relação.

Em sua maioria, o discurso é do desejo da mulher e da negação do homem. Ele diz “não conseguir”, “não quer”, “é estranho”, “tenho medo de machucar o bebê”.

O grande dilema

O dilema é tão grande que assim que eu engravidei, foi a primeira pergunta que recebi.

Isso sempre me soou estranho, porém, como nunca tinha engravidado, não cheguei a uma conclusão antes.

Existem sim todas questões hormonais das mulheres, porém aqui vamos falar em um sentido mais amplo e integral.

O motivo da falta de relação conjugal do casal na gestação ao meu ver se dá por 3 motivos macros:

1. Falta de conhecimento. O homem acha que pode machucar fisicamente o bebê com a relação. Porém, basta fazermos uma rápida pesquisa que veremos que uma gestação que corre normalmente não possui risco nenhum. O bebê não será afetado por isso.

Entretanto, acredito que esse não é o motivo central. Já me explico.

A maldita pornografia

2. A influência da pornografia.

Muitos homens não transam com suas mulheres grávidas por conta que ainda em sua mente está a construção de sexo a partir da pornografia. Com todas aquelas performances, gemidos, posições, corpos perfeitos e fantasiosos. E é claro que não conseguem ter relação, afinal, você já viu filme pornô com alguma mulher grávida?

Pode ser que no mundo macabro que estamos até tenha algum por aí. Porém não será o de maior busca. Isso tem um motivo:

A sacralidade da mulher grávida

Ainda em nossa mente, vemos a mulher como algo sagrado. Há, até nos mais pagãos, um certo respeito e admiração. Que se dá pela sacralidade que de fato a mulher grávida carrega.

Ali, é um mistério vivo diante dos nossos olhos. Uma vida gerando outra vida. A mulher que participa da criação com Deus.

O grande problema está que cada vez mais tiraram o sexo do lugar de “sacro”, “santo”,”puro”. Sexo e sacralidade, na mente de muitos, não combinam.

Sexo e santidade, sexo e oração, são coisas antagônicas.

Logo, se a mulher grávida carrega essa sacralidade. E o sexo, para a pessoa, está totalmente no lugar oposto do sacro, está no lugar de pornografia, é óbvio que o resultado será não ter relação.

Devolvamos a sacralidade para o sexo

Mulher, se seu marido não quer transar com você quando está grávida. O motivo pode ser que na verdade a esposa agora sendo também mãe, está mais distante da atriz pornô que ele queria na cama.

O que fazer com isso então?

Restituir a dignidade da sexualidade em nossas famílias. Devolver a ela o sentido o qual Deus criou, para nos unir de maneira mais profunda e íntima por meio da doação, amor e prazer.

Se você sofre com isso, procure purificar sua imaginação. Já fizemos um vídeo sobre isso.

Estude sobre o sexo como Deus sonhou. (Temos ótimas referências na Igreja como Christofer West e São João Paulo II).

Reze pedindo para Deus te curar e purificar naquilo que for preciso.

O maior ato de amor

O sexo foi feito para ser a maior demonstração de amor entre o casal. Ele, durante a gestação, tem ainda um maior valor, mostrar aos filhos “vede como eles se amam”.

O bebezinho que está ali sendo gerado, sente tudo que a mãe sente. Se durante a gestação o pai só está negando ter relação com a mãe pelos diversos motivos citados acima, esse bebê sentirá tudo. Negação, se sentir um objeto, sentir que está atrapalhando, sentir que ele é um empecilho para a união dos pais.

Mas, se os pais continuam se unindo, esse filho que ali está sendo gerado e já é fruto dessa união, continuará experimentando essa relação de amor.

Meu marido tem o costume de conversar muito com nossa filha. Em todos os momentos do dia, ele fala com ela.

Quando eu fui viajar em missão, ele conversou com ela explicando tudo. Todos os dias quando ele sai pra ir trabalhar, ele conversa com ela.

Algumas vezes, depois de termos relação também, ele reza comigo e com ela ali. Conversa com ela dizendo o quanto o papai e a mamãe se amam, se desejam, o quanto estamos felizes com a vida dela, o quanto amamos ela também.

Tudo isso é experiência de amor, fruto da sexualidade que Deus deseja dar a nós como dom.

Se você deseja contribuir com as obras de evangelização de nossa comunidade, seja amigo de nossa obra.

Giovana Belini, escritora do texto, agraciada por Deus, apóstola, pregadora, feliz por viver sua vocação

Leia mais:

A Maria nasceu!

2 Comments

  1. Lázzaro

    Boa tarde!

    Muito boa a explicação! Parabéns!

    Onde posso encontrar o vídeo que comentou nesta postagem ” Sexo na gravidez, um grande dilema!”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.