Blog

O toque de Verônica

By

A história conta que a Beata Irmã Maria Pierina de Micheli, quando tinha apenas 12 anos, na tradicional celebração da Sexta-feira Santa onde os fiéis beijam o Cristo Crucificado, recebeu a inspiração interior de Jesus que lhe dizia: “Todos Me beijam as chagas, mas ninguém beija o Meu rosto para reparar o beijo de Judas.”

E foi com essa frase que passei minha Semana Santa, em especial o Tríduo Pascal. Jesus que pede consolo para Sua Sagrada Face!

O toque físico

Para aqueles que não sabem, aqui na Inglaterra, as pessoas não possuem o costume de cumprimentar umas às outras com o toque de rosto, um beijo, como no Brasil por exemplo.

Isso me chamou muita atenção, mas é só um dos pontos perto da realidade mais profunda. A maioria são distantes, em vários sentidos, até mesmo entre pessoas da mesma família.

Quando olhamos para o Evangelho, vemos de forma singular a necessidade disso.

Madalena que quebra seu vaso de nardo, chora e enxuga os pés de Cristo com os cabelos. A mulher do fluxo de sangue, que toca no manto. João que reclina no peito do Mestre. O beijo de Judas na traição. Os soldados que batiam em Cristo.

As mulheres que sepultaram o Santo Corpo, com aromas e perfumes. Madalena que na alegria da ressurreição e no ímpeto de tocá-Lo, ouve do Senhor que não podia.

A pureza e a malícia

Hoje em dia, se torna quase impossível abraçar ou beijar as pessoas, sem que de fato exista maldade ou olhares maliciosos. E até mesmo o oposto, quantos de nós não caímos no escrúpulo, no medo exagerado. Uma vida opaca e sem vibração.

Diferentemente do nosso pecado, seja pela libertinagem ou pela repreensão, Cristo em sua totalidade, nos toca. Com Sua pureza, nos cura.

Segundo a tradição, e representado maravilhosamente no filme da Paixão, do Mel Gibson, teria existido a cena de Verônica enxugando o rosto de Jesus. Como é significativo aquele gesto. Ela toca no rosto do Senhor, vê os olhos do Amor, como poucos viram.

Seria como aquela do nardo? A hemorrágica? A Mãe Santíssima? Não, é Verônica, que significa ‘verdadeira imagem’. Ela cumpriu sua missão, impressa no pano, o Rosto da Verdade.

O Amor tem fisionomia, olhos, boca, sobrancelhas e barba. É algo que muitas vezes não meditamos com profundidade, de fato, Deus se fez homem. Aquela mulher tocou, com suas próprias mãos, esse grande mistério.

Verônica, de forma única, repara a Face que horas antes fora ultrajada por um traidor!

A Sagrada Face

Na missa da quinta-feira santa, aqui na Capelania, quando Jesus estava sendo transladado pelo sacerdote para o fundo da Igreja, a assembleia não o acompanhou no caminho. Todos permaneceram de costas para o Cristo agonizante. Como essa cena foi dolorosa, e com esse texto não serei capaz de expressar.

Mas naquela noite, pedi a graça ao Senhor de consolá-Lo, de não virar de costas para Ele, como muitas vezes faço. De reparar, na medida da misericórdia, a Sua adorável Face.

Jesus pede consolo para seu rosto torturado e sem aspecto humano, de quem todos se escondem. Reparação pelos nossos beijos impuros, dos corações endurecidos espalhados pelo mundo, pela falta de afeto e respeito para com Ele.

Façamos como Verônica, que ama e cuida de Cristo. Sejamos aqueles que consolam, e não os que somam mais sofrimentos ao Nosso Senhor!

LEIA MAIS: 

Um coração fincado no Carisma!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.