Blog, É Fogo, Testemunhos

O doloroso término de relacionamento

By

Talvez você que esteja lendo esse texto esteja passando por um doloroso término de relacionamento, ou até já tenha passado por ele e ao ler o texto lembrará desse tempo.

Escrevo aqui muito daquilo que já vivi e com a graça de Deus hoje posso testemunhar uma libertação, desejando que você possa trilhar isso também.

Aprendi com a vida e meu processo de formação em Deus a amadurecer a relação do sofrimento e o término. E, também sobre pontos finais, conseguindo ao longo da minha curta história de vida, dar pontos finais com mais tranquilidade.

A dor do final

Não gosto de ver casais terminando, mas nos últimos tempos tenho conversado com algumas pessoas que estão passando por esse processo ou já passaram, o que me motivou desarquivar esse texto e postar, talvez ele possa te alcançar.

Não quero lamentar aqui, e sim te encorajar!

Primeiro, eu sei que está doendo, e essa pode ser a maior dor que já sentiu na vida. A angústia aumenta em não saber quando isso passará, se será daqui um mês ou um ano. Parece, na verdade, que nunca passará!

Essa dor muitas vezes causa angústia, ansiedade, raiva, ódio.

É nesse momento que começa passar inúmeras coisas pela nossa cabeça, de murmuração a ódio.

Os questionamentos a Deus

Nos questionamos o porquê Deus está nos deixando passar por isso, nos questionamos sobre Seu amor.

Pensamos também em estratégias e coisas que podemos fazer para ser diferente, aqui vem a vontade de mandar mensagem, de voltar atrás.

Pensamos no que poderíamos ter feito diferente para não ter acabado, passa um filme em nossa cabeça que queremos sempre responder com respostas diferentes, porém isso é perda de tempo, tudo isso já passou. E no tempo que passou, não fizemos diferente.

Perdemos muito tempo com esses pensamentos, travamos até nossa vida e a oportunidade de viver o novo.

A dor pode nos iludir, e é aqui que começamos esquecer o motivo do término e começamos achar que daria para ficar junto.

Na verdade, não é sobre ficar junto a questão, é sobre a dor.

A dor que paralisa

Essa dor exacerbada mostra que algo estava demasiado nesse relacionamento, e a dor não é apenas pelo término, mas sinal de que havia algo doente e o término só mostrou mais a doença.

Essa doença muitas vezes é idolatria, ou como no meio psicológico dirão, dependência afetiva.

Aquela pessoa te dava várias sensações e momentos que te fazia sentir vivo, e agora sem ela, parece que está meio morto.

Como eu sei disso? Porque eu já terminei com um ídolo, e senti isso, era como se tivesse perdido a razão da minha vida. Eu perdi seis quilos em quinze dias porque não comia, tinha inúmeras crises de ansiedade por dia que ficava ligando para minha mãe, permaneci um mês praticamente deitada no quarto não querendo levantar para nada. Não queria mais sair, e nos piores momentos, surtava falando que queria morrer, que nada mais fazia sentido.

A idolatria nos consome

Veja, olhando para tudo isso, claramente podemos ver que foi excessivo demais o que senti. Não precisava de tudo isso.

Só que na minha cabeça da época, a minha dor era porquê de fato tinha perdido meu ídolo. Então, se você está sentindo tudo isso, a primeira coisa que tenho que te falar é que está doendo tanto porque ele não era seu namorado(a), ele ou ela era seu ídolo!

O ídolo quebrou meu filho(a), que bom que quebrou. Agora, você pode caminhar para liberdade e a cura dessa dor.

O final desse relacionamento só quer dizer que ele nunca existiu verdadeiramente.

O relacionamento com um ídolo é uma ilusão, porque a idolatria nos deixa iludidos, vemos qualidades onde não há, esperamos naquele que não pode nos dar o que procuramos.

É só olhar no Antigo Testamento quando Elias fala que Baal é o ídolo do povo. O povo esperava que Baal mandasse fogo do céu, tinham uma relação de ilusão. Só que aquele ídolo não poderia mandar isso, apenas o Deus verdadeiro pôde.

Esperamos muitas vezes dos nossos namorados e namoradas a presença do pai que não tivemos, a mãe que não cuidou, o carinho que não recebi, o se sentir importante, a cura de traumas… Tantas coisas. Só que isso é apenas ilusão, passamos por momentos que sentimos que esse vazio é saciado no relacionamento, mas logo depois ele aparece de novo. Outros momentos que parece que feridas foram curadas, mas era apenas um analgésico momentâneo.

O final livre do apego

Hoje, já me imaginei várias vezes terminando com o Gleydson (meu noivo), e nenhuma dessas vezes os sentimentos chegavam próximos do anterior.

Por quê? Amo menos o Gleydson? Quero terminar com ele?

Não, amo mais Jesus. O Gleydson nunca foi o meu ídolo ou razão do meu viver. E por mais que ficasse triste com o término de nosso relacionamento, isso não paralisaria minha vida novamente. Não sentiria essa dor exacerbada.

Que bom que você está vivendo isso agora! Agradeça! Pois, mais cedo ou mais tarde isso iria acontecer, você descobriria que a pessoa que estava contigo não é fonte de vida. E se fosse descobrir isso só no casamento, te garanto uma coisa, seria muito pior.

Só há um caminho

Só há um caminho, verdade e vida. Esse é Jesus Cristo.

Se você é cristão, e está sentindo tudo isso, tenho outra notícia para te dar, uma grande conversão em sua vida vai acontecer!

De fato, poder viver a experiência de ser cuidado por Deus e escolher Ele por completo, não mais pela metade.

A oportunidade de vencer a idolatria e viver um amor livre.

Achamos muitas vezes que o relacionamento que tínhamos era a melhor coisa da nossa vida, mas muitas vezes ele não passava de uma ilusão, não existia. Quando há idolatria, não é possível ter verdade. Um ídolo é sempre mentira.

Escolha, pois, a verdade! Permaneça nela!

Relacionamentos assim são como tragédias anunciadas, e esses términos são grandes cuidado de Deus conosco!

A ferida que um dia me machucou, foi a mesma que tanto me libertou!

Eu renasci, como filha de Deus, mulher, namorada, noiva.

Durante toda minha vida eu queria esquecer os momentos de dor, as noites de crise, os choros compulsivos, a depressão, os quilos perdidos… mas sabe, hoje não escolho esquecê-los, mas agradece-los.

Que bom que vivi tudo isso, poderia ter sido mais fácil, claro! Mas hoje, fui restituída, nasci e renasci! Sou mais feliz e livre.

O mesmo pode acontecer com você minha irmã e meu irmão. Peça a esse Deus de liberdade que sua vida seja transformada, peça forças! Você vai conseguir! Conte com minhas orações!

Se você conhece alguém que esteja passando por esse processo, me faz um favor, encaminhe esse texto para ela.

Leia mais: 

A mulher encurvada na nossa vida

Com quantas feridas você chegou?

 

Se você deseja contribuir com as obras de evangelização de nossa comunidade, seja amigo de nossa obra.

Inscreva-se no nosso canal do Youtube e veja todos os vídeos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.