Blog, Discípula Livre, Sede Fecundos - Pais e Filhos

A maternidade salvará o mundo

By

Recentemente li um texto belíssimo de Fulton Sheen sobre a maternidade em seus aspectos biológicos e espirituais. Ainda não sou mãe biológica, mas é um conteúdo riquíssimo para todas as mamães por aqui e um conteúdo ainda mais rico para as mamães que não geram filhos no ventre, mas nos ombros provendo o sustento da vocação e no coração os amando com todo amor que possui e vem do próprio Cristo, as mães espirituais!

 

MARIA EXEMPLO DE MATERNIDADE

Uma mãe é dupla benfeitora da humanidade: preserva fisicamente e prove moralmente, tendo seu maior exemplo na vida Virgem Maria. Com a Mãe Santíssima podemos ver grandes e claríssimos exemplos de como se dão todas essas coisas. A preservação física, Maria preserva Jesus de uma maneira extremamente livre e purificada, Ela compreende que o filho é seu, afinal Ela o gerou, mas que a missão que Ele carregava era muito maior e a missão que se dizia a respeito a Ela, era preservá-lo livremente, não o colocando dentro de uma bolha, mas o estigando para dizer sempre sim e seguir livremente e fielmente a vontade de Deus.

“Três dias depois, encontraram-no no templo, sentado entre os doutores, a ouvi-los e a fazer-lhes perguntas. Todos quantos o ouviam, estavam perplexos com a sua inteligência e as suas respostas. Ao vê-lo, ficaram assombrados e sua mãe disse-lhe: “Filho, por que nos fizeste isto? Olha que teu pai e eu andávamos aflitos à tua procura!” Ele respondeu-lhes: “Por que me procuráveis? Não sabíeis que devia estar em casa de meu Pai?” Mas eles não compreenderam as palavras que lhes disse. Depois, Jesus desceu com eles, voltou para Nazaré e era-lhes submisso. Sua mãe guardava todas estas coisas no seu coração. E Jesus crescia em sabedoria, em estatura e em graça, diante de Deus e dos homens.” (Lc 2,41-52)

 

EDUCAR PARA A ETERNIDADE

Maria educava para si, seu filho, seu bebê. Mas também educava o Emanuel para seguir a sua própria missão. A educação livre que o gerava na independência de seguir, para a missão ao qual o Deus o chamou! E assim na educação dos nossos filhos precisamos educá-los, para servir, educá-los para a missão da qual nasceram para ser e assim a educação será completa!

Afinal, se o fim último não for a santidade. Se não for devolvê-los para Deus com maior dignidade que Ele nos deu, de que vale a maternidade para esta geração? Se não for criar e gerar de pequeninos, grandes Santos para esta nação!

 

BIOLOGIA E ESPIRITUALIDADE

A maternidade tem em si duas essências, uma biológica que é a procriação da vida numa essência biológica e a espiritual que transcende a biológica. Na dimensão espiritual a mulher prepara o seu corpo numa dimensão igual ou semelhante a um sacerdote preparando o pão para o sacrifício.

 

Em suas duas dimensões, o lado biológico traz uma VIDA com a cooperação de um Pai. Na dimensão espiritual com a cooperação de Deus, além da VIDA é infuso na pessoa com o auxílio da graça de Deus, a alma. Ou seja, para gerar uma pessoa precisa-se da junção dos dois lados, o biológico e espiritual para assim nascer uma alma atrás da graça do ato conjugal vivido sobre o auxílio, graça e intervenção total de Deus.

 

“Dê-me uma geração de boas mães católicas e eu mudarei o mundo!” – São João Crisóstomo!

 

SALVAÇÃO

A mãe é portadora de realidades eternas, quando ela consegue que seu filho exerça a sua missão voltada para a eternidade. Se a mãe coopera ao chamado de Deus, o gerando, ela será salva. E educando para o céu, para a sua missão, ela é glorificada pela vida dos filhos e garante numa dimensão ainda mais especial e conduzindo para a santidade, a sua própria salvação.

ÀS MÃES ESPIRITUAIS

Que graça é a sua maternidade espiritual ofertada para este mundo. Num mundo tão cruel em que mães abortam, abandonam seus filhos, a sua vocação existe para gerá-los no coração, um coração tão grande como o da Virgem Maria. A sua salvação dentro da maternidade está em amar com todo amor que possui aqueles filhos que você não o gerou, mas que Deus hoje te dá a graça de conduzir. Meninos, meninas que nunca souberam o que é amor, hoje sabem e encontram tão grande exemplo em Ti. Bendito é o fruto do ventre e ainda mais bendito é o fruto do teu coração que gera nos ombros e no coração as ovelhas perdidas, a fim de reconduzi-las ao caminho do Pai, que é donde vem o amor, a vida, a santidade e a eternidade!

 

Deus abençoe vocês!

Leia mais: 

Os colos de Maria na educação

Sede Fecundos: Pais e Filhos

Assinatura Van

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.