Quem não tem um plano de vida, tem um plano de morte!

Meu nome é Tiago, sou casado, pai de 4 e já fui membro apóstolo desta comunidade. Participei por bons anos da comunidade, mas nos últimos tempos fui me decidindo por viver um plano de morte.

Nos últimos tempos, essa frase tem ecoado em meu coração e como por um período da minha vida essas palavras fizeram sentido, tive a capacidade de percepção, de que minha vida estava se esvaindo, pois, uma vida sem fazer aquilo ao qual o Pai me chamou é o mesmo que morrer.

Se a fé sem obras é morta, como nos diz São Tiago 2,17, imagina eu que passei um período assim e que costumava dizer dentro do meu coração que estava vivendo um ano sabático, só que de Deus. Durante todo esse período tudo o que havia construído com muito esforço, dedicação e amor, espiritualmente foi se perdendo rapidamente.

Digo isso no sentido de intimidade, espiritualidade, desejo pelas coisas do alto, admiração pelas coisas da igreja, tudo isso se foi como em um piscar de olhos, e eu como sacerdote da minha casa, me vi solitário, pois havia deixado de lado o Espirito Santo.

 

O Começo do Retorno

Bom, diante de tudo isso, sem fé, sem obra alguma, percebi a minha idiotice, pois como pode a criatura viver longe do seu Criador? Eu respondo: não vive, mas sobrevive. Deus na sua infinita misericórdia e como o bom pastor viu que sua ovelha estava perdida.

Mesmo diante desse cenário eu nunca deixei de acompanhar a minha esposa e muitas coisas da igreja, pois quem vivia a revolta da minha vocação era eu e não ela e creio eu que foi nesses acompanhamentos que o Senhor começou o resgate da minha vida, escutei muitas pregações que não deixou alcançar o meu coração.

Mas aquelas palavras de tantas quartas-feiras de grupo de oração que eu havia participado, tantos irmãos que rezaram por mim e que o Senhor usou para falar comigo, começaram a mudar meu coração. Os terços feitos em casa com minha família, começaram também a ser feitos com mais vontade, e parece que o desejo retornou em mim.

 

Ele deixou as NOVENTA E NOVE

O Senhor deixou as 99 ovelhas no aprisco e foi ao encontro dessa UMA aqui, curou minhas feridas, aparou minha lã (podemos chamar de orgulho e soberba) que já estava tão grande e pesada que eu já não me movia para lugar algum e depois de deixar ser cuidado pelo Bom Pastor, voltei a dar passos e ver o novo de Deus acontecer em mim e na minha família.

Senti que meu chamado estava forte novamente e o chamado a ser um consagrado estava latente em mim,

Assim diz Paulo a Timóteo: “prega a palavra…” (1 Timóteo 4:2),

Foi para isso que eu te resgatei e te coloquei em ordem de batalha novamente.

O Senhor com sua pedagogia peculiar me mandou como primeira missão o retiro ao qual eu sempre servi com muito amor e carinho, o CAMMINUS, e junto da minha esposa, pude fazer uma nova experiência no servir a DEUS. Agora não só individualmente, mas sim com ela! Formando uma só carne, rasgamos nossas vidas ali, diante daqueles que faziam o retiro e testemunhamos tudo que havia acontecido em nosso casamento.

 

ORAÇÃO…

No mês passado, o Senhor resolveu que era a hora de voltar a pregar/anunciar em um Grupo de Jovens. Como eu estava com saudades de estar ali contigo Senhor, diante daqueles jovens, uma missão difícil, mas creio que pude entregar grandes coisas para a vida daqueles que me escutavam.

Lutarei com todo o meu coração e nunca mais quero sair da sua presença SENHOR, então ajude-me a me manter firme em Ti, longe das ciladas do inimigo.

Lembre-se sempre: “Quem não tem um plano de vida, tem um plano de morte!”

Meu plano de vida recomeçou, não deixe o seu para mais tarde, comece agora ou recomece o seu caminho junto ao Senhor, que Ele possa nos fortalecer, nos ajudar e nos guiar. Lembre-se: os planos de Deus são muito melhores que os nossos!

 

LEIA TAMBÉM:

 

O PRELÚDIO DA CRUZ

 

EXISTEM ALMAS PREDILETAS

Deixe um comentário