Igreja, Somos Igreja

Por que batizar crianças pequenas?

By

Por que batizar crianças pequenas, quando o Batismo parece ser um Sacramento de adultos? Se abrirmos as Sagradas Escrituras, vemos que há sempre um processo de conversão em resposta à Palavra de Deus.

Nos Atos dos Apóstolos nos são descritos exemplos desse processo. Pedro no dia de Pentecostes toma a palavra, anuncia a mensagem da Salvação por Cristo. Os ouvintes perguntam: «o que devemos fazer para nos salvar. Pedro responde: «convertei-vos e cada um seja batizado» .. Os que receberam sua palavra foram batizados.

Estes elementos fundamentais: ouvir a mensagem, responder pela fé, a conversão e uma vida conforme à nova dignidade de batizados, eram muito conscientes quando se batizavam adultos na Igreja primitiva, pois o normal era o batismo de adultos.

O SENTIDO DE BATIZAR CRIANÇAS PEQUENAS

Vimos que o Batismo é uma resposta de fé. Então nos perguntamos como é que uma criança pode ser batizada se é incapaz de dar esta resposta. O fato é que a Igreja desde os tempos mais remotos batiza crianças. Parece que existem duas vias de justificação em Cristo. Para os que têm o uso da razão são necessários a fé e o Batismo; para as crianças, o Batismo na fé da Igreja. Assim, as crianças podem ser batizadas pela lei da solidariedade e da representação.

O plano de Deus da salvação observa as leis naturais.

Na vida natural, a criança depende em tudo dos pais e é representada por eles. Deles recebe a vida, deles depende em sua subsistência: o alimento, as vestes, a conservação da vida, a educação.

Na própria fama elas dependem dos pais. Em tudo a criança é solidária com os pais. Por isso mesmo eles a representam em qualquer ato jurídico. Algo de semelhante acontece no plano religioso.

Os pais que creem e levam uma vida em seguimento de Cristo são representantes e mediadores dos filhos em suas manifestações religiosas. Os pais desejam colocá-los ao lado de Cristo, entre os justificados; os pais desejam que os filhos façam parte da comunidade dos justos, daqueles que pela água e o Espírito Santo são regenerados e fazem parte da comunidade dos santos.

Assim como no campo natural os pais são mediadores da vida dos filhos, tornam-se mediadores também da nova vida pelo Batismo.

Convidam, então, a Igreja, representada sobretudo pelos padrinhos, a celebrar pelo Batismo a salvação do filho realizada por Cristo.

Uma condição importante para que o filho possa ser batizado em criança é que os pais, os padrinhos e a Igreja em geral tenham os meios e a vontade de conduzir a criança a uma fé pessoal, para que o Batismo recebido em criança não se torne apenas um rito sem sentido e estéril na vida da pessoa.

O QUE OS PAIS DEVEM SABER E FAZER PARA BATIZAR UM FILHO

Para tornar a Celebração do Batismo dos filhos mais rica e compreensível é necessário tomar conhecimento do Novo Ritual.

1) Quando batizar a criança?

Antes de tudo se deve dar atenção ao estado de saúde da criança. Assim as nascidas prematuramente, na medida do possível, devem ser batizadas no mesmo dia para que não sejam privadas do Sacramento.

É preciso que haja entre o nascimento e o Batismo o tempo suficiente para iniciar os pais e preparar uma celebração adequada. Assim, pois, quanto antes, mesmo antes do nascimento do filho, os pais fazem bem em notificar ao Pároco para que juntos possam preparar bem a Celebração do Batismo, que normalmente se fará nas primeiras semanas de vida.

Se for preciso, porém, este tempo poderá ser prolongado pela Conferência dos Bispos.

E o pároco quem na prática determina o tempo, pelo fato de os pais ainda não estarem preparados para a profissão de fé, ou o cumprimento de seus deveres na educação cristã dos filhos.

2) Onde batizar? 

O Batismo se fará de preferência num domingo, na igreja paroquial, para melhor exprimir que é o Sacramento da fé da Igreja e que por ele a criança é agregada ao povo de Deus. Por isso, não seja celebrado em casas particulares, exceto em perigo de morte.

3) Participar na celebração 

Pelo novo Rito do Batismo a função dos pais é agora mais importante do que a dos padrinhos. Os pais devem preparar-se para a celebração. Para Isto podem recorrer a livros, cartas, catecismos, palestras ou cursos. O Pároco estará pronto para ajudá-los.

Nesta preparação eles aprenderão melhor o que devem fazer durante a Celebração:

a) São eles que fazem publicamente o pedido para que a criança seja batizada.

b) Traçam o Sinal da Cruz na fronte da criança, após o Celebrante.

c) Proclamam a renúncia a Satanás e a profissão de fé.

d) Levam a criança para a fonte batismal. (não é mais a madrinha, mas a mãe que leva a criança e só depois de batizada a entrega para a madrinha).

e) Seguram a vela acesa.

f) Recebem uma bênção especial, destinada à mãe e ao pai. Para que todos possam participar com atenção da Celebração, convém que durante a Liturgia da palavra as crianças permaneçam em lugar separado da assembleia, de tal maneira, porém, que as mães e madrinhas possam participar da Liturgia da Palavra. Esta medida será oportuna sobretudo quando houver muitas crianças para serem batizadas.

Referências bibliográficas:

Catecismo da Igreja Católica Apostólica Romana – http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p2s2cap1_1210-1419_po.html

RICA. São Paulo-SP, Paulinas 2003.

2ª edição Ritual Romano, sobre Celebração do Baptismo das Crianças.

Leia mais:

O Consagrado cuida

A palavra de Deus é o Cristo Libertador

Por: Padre Sidnei Fernandes Lima – Professor de Teologia da Pontífica Universidade Católica (professor do nosso fundador)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.