É Fogo

Perder para ganhar! Obedecer para ganhar!

By

Pode perder ou ganhar, basta escolher, obedecer ou desobedecer. Perder para ganhar!

A obediência sempre soou para mim como perda de autonomia, perda da minha posição, minha liberdade de expressão, minha vontade. Em só ver perder, perder, perder. Eu limitei. A obediência passou a ser limitada na minha vontade, no que eu acho certo ou errado. Eu obedeço, mas obedeço só aquilo que eu concordo.

Então, onde está a virtude na humildade?

Obedecer só aquilo que queremos é fácil e até óbvio. Se é algo que você acredita, quer, deseja, é óbvio que fará.

Obedecer só aquilo que queremos não é virtude. Foi nessa reflexão que Deus me incomodou para ir além, me direcionou a encontrar virtude na obediência, e assim, um caminho de santidade.

A obediência é o voto mais perfeito, mais importante até que a castidade e pobreza. Com ela oferecemos a Deus um dom – o dom da nossa vontade, e entregar nossas vontades para Deus é sempre ganhar.

Eis um desafio, perder para ganhar.

Mergulhei na obediência que Deus estava apresentando e vi que mergulhando nela eu não preciso de salva vidas, porque a providência de Deus é meu resguardo. Quando eu faço aquilo que Ele manda, na forma que Ele orientou, o próprio Deus assume as responsabilidades.

Então, abençoado, se jogue, mergulhe sem medo! Você acha mesmo que Deus deixaria você morrer afogado? Óbvio que não! Pelo contrário, Ele dará o melhor!

Quem obedece, fortalece

Fortalece sua prece

Não esmorece

Já,

Quem desobedece, só perde

Nesse momento, perdemos para ganhar. É preciso perder a segurança, abnegar suas vontades, para obedecer e se formos colocar na ponta do lápis, por fim, veremos que na verdade não perdemos nada, só ganhamos.

É preciso obedecer meus superiores!

Para obedecer é preciso escutar a Deus e Deus fala através daqueles que são voz de Deus para você.

Quem são essas pessoas?

Simples! São pessoas que ouvem a voz de Deus, primeiro de tudo e desejam saber qual a vontade Dele, para que assim a vontade Dele seja realizada de forma genuína.

Mas, essas pessoas têm nome na sua vida. Quem são elas? Pode ser o Papa (que é superior para todos nós católicos), o Bispo, Padre, Coordenador do Ministério que você atua, Fundador, Formador, Orientador Espiritual…

E você obedece a eles?

Nomeie quem são eles: precisamos saber claramente quem é a voz de Deus para nós, se não a nossa obediência não será fecunda como necessária. Já pensou se o povo do Egito não entendesse que Moisés era a voz de Deus para eles? Eles morreriam escravos e perderiam a oportunidade de liberdade.

Quando decidimos obedecer, nos tornamos livres.

“Eis aqui a Serva do Senhor”, e nessa obediência de Maria, a liberdade se fez. Perdeu sim. Mas ganhou muito mais e Deus assumiu as responsabilidades.

“Desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, mas a vontade dAquele que me enviou”. O Cristo escolheu uma coisa: fazer a vontade do Pai! Perdeu sua própria vida, foi livre e nós ganhamos a liberdade.

Santa Faustina

“Abnegação da vontade, isto é, cumprir a vontade de Deus, que se manifesta na vontade daqueles que ocupam o lugar de Deus e que está contida na regra da nossa congregação” (Diário de Santa Faustina – Parágrafo 375).

Santa Faustina abnegou até suas vontades, e encontrou com muito mais liberdade e com uma vontade muito melhor, a vontade de Cristo.

Silencie!

No começo será difícil, somos orientados sempre a fazer nossa vontade e exclusivamente ela, mas quem quer ser santo de verdade vai além e ninguém disse que ser santo seria fácil, né?

Obedeça mesmo doendo. Se não concordar de imediato com algo que foi orientado, silencie e deixe Deus trabalhar no silêncio do seu coração. E com o tempo, a obediência criará raízes e mais do que doída, será virtuosa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.