Blog, Pelas Lentes do Carisma

Raizes

By

Descrição da foto: Raizes | Foto: Kristina Gonçalves

Onde estão fixadas as suas raizes? De onde elas tem tirado os sustentos necessários para seu crescimento? Nessa reflexão vamos, analogamente, nos comparar a uma árvore.

Nascer de uma árvore

Como você sabe, eu não sou biólogo e acredito que você também não é, por isso, irei simplificar o processo geral de desenvolvimento de uma árvore. 

O nascimento de uma árvore acontece a partir de um embrião que se rompe e inicia o seu processo de transformação. Primeiro, a semente se abre e dela sai uma raiz principal, ainda frágil e fina. Segundo, durante o seu desenvolvimento, vai ficando mais espessa, se alonga e cria raizes auxiliares para nutrir o eixo central. Aos poucos vai conquistando espaço, água e nutrientes. Em seguida, com raizes estáveis, cresce o caule e vai ganhando tamanho e espessura. Por fim, a árvore desenvolve galhos, folhas e, em alguns casos, flores e/ou frutos.

A biologia nos ensina que a raiz tem duas funções principais: 

  1. Servir como meio de fixação ao solo.
  2. Ser um órgão absorvente e provedor de nutrientes.

A raiz é a base de uma planta. A partir dela que se desenvolve todo o resto da árvore. Durante seu desenvolvimento inicial, a vida daquele ser vivo poderá ficar comprometida caso não tenha os elementos suficientes. É importante ressaltar que na maioria dos casos as raizes são subterrâneas e não visíveis aos humanos.

Gestar uma vida

A concepção de um ser humano é algo indescritível, podendo ser resumido na palavra divino. Milhões de espermatozoides percorrem um longo caminho até um local estratégico com perfeitas condições de permanência. Passando por uma seleção natural, apenas um consegue se unir ao óvulo, instantemente se combinando. Essas células se multiplicam numa velocidade altíssima e transformam-se em um embrião e, pouco tempo depois, se conecta ao organismo da mãe através do cordão umbilical.

Por esse cordão é transmitido todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento desse ser humano. Esse processo somente se encerra quando todos os órgãos desse bebe já estão prontos para funcionarem sozinho, sem a ajuda da provedora central (conhecida como mamãe).

Assista o video da fecundação humana (clique aqui)

Durante esse período o bebe não pensa sozinho, seus pensamentos são os mesmo da “mamãe”. O cordão umbilical passa mais do que alimento, oxigênio e nutrientes, ele passa também os medos, as emoções intensas, a visão da mulher para com o mundo. Todo o corpo físico e a estrutura emocional vão se formando nessa dependência. A mãe como co-criadora divina compartilha com seu filho tudo que tem em seu ser, dificilmente separando as coisas boas das coisas ruins. Tudo o que vivenciou em sua história, seu relacionamento com seus pais e avós, tudo isso é transmitido para essa nova criatura.

Nesse processo o bebê vai ganhando tamanho e seus órgãos vão se tornando mais independentes. Por fim, vem o parto e após o nascimento esse bebê deve continuar o processo de desenvolvimento, não mais pelo cordão umbilical e nem nessa co-existência entre mãe e filho. A partir de então, a mãe se torna uma auxiliar e não mais a provedora central. 

Então surge um questionamento, será que um ser humano depois de ter vivenciado a vida através de outra pessoa pode se desconectar totalmente? Mesmo que essa conexão não seja visível socialmente, em muitos casos ela perdura mais do que deveria.

A Árvore e a Vida

Para que a árvore exista a semente precisa morrer, sem a morte da primeira fase, não existe vida (João 12, 24). Enquanto para as plantas a semente precisa morrer, para os humanos os espermatozoides e o óvulo também precisam “morrer” para que nasça um novo ser. O que quero dizer com isso?

O óvulo é a continuação da mãe e o espermatozoide é a continuação do pai, porém o filho não deve ter essa tarefa de responder as demandas familiares de cada um deles. Ao se fundirem em um só, eles mudam de nome, se tornam um zigoto e a partir desse momento já temos uma criatura nova, com uma missão específica e um caminho a ser trilhado. As raizes da árvore são sustento para ela durante todo o período de sua existência. Porém, para os seres humanos, o cordão umbilical é temporário. Sendo assim, para que ambos tenham vida, ele deve ser cortado.

Corte o cordão umbilical

Você já não é aquela criança que depende dos pais para sobreviver. Você já não pensa mais o que sua mãe pensa, ou reage como o seu pai reage. Você é um ser único que precisa fazer a sua própria história. Ser o protagonista de seu presente e aceitar o seu passado para não ter um futuro refém das escolhas de outras pessoas. Chegou a hora de escolher por si próprio e de andar com suas pernas.

Digo aos filhos: se está numa profissão porque ouviu a vida inteira que essa era a boa, pare!

E para os pais: se seu sonho era ser bailarina e não pode, sua filha não tem essa responsabilidade.

Esse tipo de árvore só da fruto de acordo com as expectativas de outras pessoas, sejam elas seus pais, amigos ou qualquer pessoa que a ame muito. Agora é a hora de dar frutos de acordo com a vontade de Deus. 

Enraizado no Evangelho

Acima de tudo, Deus já sabia da sua existência antes mesmo de seus pais o conceberem (Jeremias 1, 5). Ele já sabia o seu nome e o tinha na palma de Sua mão (Isaías 49, 16). Da mesma forma, Ele sonhou com sua vida e te deu uma missão, ser santo (1 Pedro 1, 15). Ele constituiu sua essência e te chama a voltar a ela constantemente.

Para esclarecer, nesse momento Deus te convida a fazer uma transposição de raizes. Um procedimento delicado para uma árvore já desenvolvida, porém necessário. O Espírito Santo irá cuidar desse procedimento. Essa árvore que antes estava com a suas raizes ligadas a sua família e paixões, hoje está sendo ligada ao Evangelho, ao Verbo Encarnado, ao Cristo.

Neste novo local, os nutrientes estão em abundância e de lá emana vida que gera vida, transmite cura e afasta todas as limitações. Se você for como eu, deve estar pensando que é melhor deixar as raizes aonde estão. Mas escute a voz de Deus: “Se você continuar ligado ao lugar errado, sua vocação parará de dar frutos e secará.”

(João 15, 5)
“Eu sou a videira; vocês são os ramos.
Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto;
pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma.”

Meu irmão, essa transposição não será fácil. Haverá dor. Muita dor. Mas, se faz urgente. Deixe o Espírito Santo mudar suas raizes, Ele é o agricultor. O Espírito te mostrará o porque de cada procedimento e revelará as verdades de sua vida. A você cabe somente permitir. Enquanto estiver sendo conduzido por Ele, suas raizes irão ganhar força, se tornarão inabaláveis e firmes, os troncos terão mais vigor, a copa das folhas produzirão mais sombra e os frutos mais sabor.

Oração

Tenha coragem e deixe-se levar pelo Espírito Santo, rezemos juntos:

“Oh Espírito, me ajude a enxergar a verdade revelada e permitir que minhas raizes possam se tornar cada vez mais profundas em seu Evangelho. Me dê forças para romper com as expectativas sociais e familiares. Eu desejo realizar aquilo que Tu me criastes a ser. Faz as podas necessárias para o crescimento ordenado de minhas folhas e que meus frutos possam ser alimento para muitas pessoas.”

Amém

 

Leia também o texto Alguém passa a fase pra mim?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

This error message is only visible to WordPress admins

Error: API requests are being delayed for this account. New posts will not be retrieved.

There may be an issue with the Instagram Access Token that you are using. Your server might also be unable to connect to Instagram at this time.

Error: No posts found.

Make sure this account has posts available on instagram.com.