Formação, Palavra de Fundador

O mal: Onde nasce, e como se propaga!

By

“‘Não entendeis que tudo que vem de fora, entrando no homem, não pode torna-lo impuro, porque nada disso entra no coração, mas no ventre, e sai para a fossa?’ (Assim, ele declarava puros todos os alimentos.) Ele dizia: ‘O que sai do homem, é isso que o torna impuro.'” (Mc 7,18b-20a).

É necessário ter o mínimo de conhecimento para se entender as sagradas escrituras, o problema é que, hoje, nós católicos e, ampliando, cristãos em geral, não temos nem o “mínimo”, o que acaba nos levando a interpretações erradas das Sagradas Escrituras e, o pior, nos levando a cultivarmos uma fé fantasiosa e extremamente prejudicial à nossa própria salvação.

Então, nem vós tendes inteligência?

O trecho do Evangelho de Jesus citado acima é exemplo disso. Se não o interpretarmos corretamente, cientes de para quem Jesus o dirige, em que contexto e com que objetivo o faz, corremos o risco de colocar nossa conversão em um risco alto, e jogarmos pelo ralo os poucos passos de santidade que damos com tanto esforço.

Vire e mexe eu escuto o seguinte discurso por aí: “Jesus disse que nada que vem de fora pode me tornar impuro, porque todo o mal nasce do nosso próprio coração!”

Entretanto, na maioria das vezes, nos comportamos como os apóstolos e, hoje, o próprio Jesus nos questiona: “Então, nem vós tendes inteligência?” (Mc 7,18a)

Toda a maldade nasce no coração do homem, é fato! Afinal as situações malditas, fofocas, maledicências, devassidões, invejas, difamações não surgem do nada. Alguém precisou arquitetá-las. Alguém precisou dar vazão à corrupção nascente em seu interior e, então, transformá-la em atitude, projeto, ou sabe lá mais o que, e fazer com que ela se propague pelo mundo.

O Mal nasce dentro, mas se propaga fora

Os filmes pornográficos, por exemplo, nascem de um coração luxurioso, ganancioso e perverso, que simplesmente resolveu dar vazão à sua podridão, para satisfazer seus próprios interesses e desejos escusos (Mc 7,21-23). Um coração invejoso gera a disputa e propaga a destruição do outro. Um coração guloso gera as situações de descontrole, que podem acarretar em um consumo desenfreado, propagando a cultura do consumismo. Bom, por aí vai.

O discurso de Jesus é dirigido a judeus, e tem por objetivo criticar as tradições farisaicas, que se preocupavam muito mais com o exterior do que com o interior do homem. Para eles, muitos alimentos eram impuros e, ao serem ingeridos, converteriam o homem puro em impuro também. Todavia, não prestamos atenção direito no texto, afinal, Jesus deixa claro que está falando de alimentos:

[…] “porque nada disso entra no coração, mas no ventre, e sai para a fossa? (Assim, ele declarava puros todos os alimentos).” (Mc 7,19)

Leia com atenção

O tradutor da bíblia de Jerusalém fez questão de colocar entre parênteses do que Jesus estava falando. Porém, passamos despercebidos e, displicentemente, reproduzimos o texto que recebemos e não o que lemos na bíblia. Que risco! Não entendemos o contexto, não entendemos quem é o destinatário e nem sequer lemos, somente reproduzimos. E o pior, achamos em nossa soberba burrice arrogante, que nada nos atingirá. Ledo engano.

Um jovem que a duras penas conseguiu se libertar da masturbação, caso caia na tentação de ver pornografia de qualquer tipo, voltará a praticar o pecado de que fora liberto. A mulher que não peca mais com a língua, se der ouvidos aos fofoqueiros, terá a chama da maledicência novamente acesa em seu coração. O vício do consumismo, que mina a pobreza evangélica, facilmente ressuscitará em nós a vaidade, se não zelarmos por uma vida simples. A soberba satânica que nega a obediência cristã poderá ser insuflada em nós novamente, com apenas uma frase torta de autossuficiência e de vanglória.

Melhor queimar livros do que almas

Veja o que no ensina Dom Bosco, o santo fundador da ordem dos Salesianos:

“Mas, ao mesmo tempo em que recomendo as boas leituras, aconselho-te que fujas dos maus livros. Todo livro, jornal ou folheto que ataca a Igreja e seus ministros, ou que contenham imoralidades, são extremamente perigosos para a formação. Afaste-se disso, como fosse de um copo de veneno.

Nisto devemos imitar os cristãos de Éfeso, quando ouviram São Paulo pregar sobre o dano que causam maus livros. Aqueles fervorosos fiéis os carregavam para a praça pública e fizeram uma fogueira, achando melhor queimar todos os livros do mundo do que expor a alma ao perigo de cair no fogo do inferno.” (Dom Bosco)1

Em resumo, cuidado porque dentro de nós existem dois moradores, o doce hóspede da alma, o Espírito Santo (isso se você for batizado) e a maldita inclinação ao pecado (existe em todos nós, não tem jeito), resta saber qual deles você deseja alimentar. Cuidado! Não existe ração que alimente gato e cachorro, peixe e pássaro, réptil e mamífero. Dependendo do alimento que ingerires, você desnutrirá o Santo que você tem lutado para se tornar, e tornará forte o pecador que quer se autodestruir!

“Trato duramente o meu corpo e reduzo-o à servidão, a fim de que não aconteça que, tendo proclamado a mensagem aos outros, venha eu mesmo a ser reprovado.” (1Cor 9,27)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

This error message is only visible to WordPress admins

Error: API requests are being delayed for this account. New posts will not be retrieved.

There may be an issue with the Instagram access token that you are using. Your server might also be unable to connect to Instagram at this time.

Error: No posts found.

Make sure this account has posts available on instagram.com.

Click here to troubleshoot