Arte e Cultura, Discípula Livre, Somos Igreja

Alegria de pobre dura pouco

By

Essa frase é um ditado popular que passa a ideia de que pobre não consegue se dar bem por muito tempo, logo que recebe uma notícia boa já vem com uma exigência, condição ou “letras miúdas” no final. 

Tomando como base o ditado e seu significado, podemos ver dois grandes erros: 

1°) Falta de reconhecimento da verdadeira felicidade.

2°) Distorção do que é pobreza. 

 

Infelizmente, por tantos pecados que nos acometem e por nossa falta de discernimento, confundimos facilmente o que é felicidade. Nos frustramos, porque colocamos demasiada alegria onde não é para ser colocada. Em pessoas, momentos, bens materiais, viagens e tantas outras coisas.

Mas sim, podemos ter pequenas alegrias ao longo de nossa vida, pois é o próprio Deus que nos concede. Entretanto, precisamos estar sempre com o coração imerso em Deus para que nada nos desvie do caminho. Só assim nossa alegria não será pouca, e sim Eterna. 

 

O CONSELHO DA POBREZA 

 

Aqui na Comunidade, começamos a nos aprofundar nos conselhos evangélicos. E uma definição belíssima da Pobreza é que, ela é a total abdicação de si próprio para o abandono integral à vontade de Deus. Ou seja, a pobreza vai além de coisas materiais, diria até que está na última instância.

Infelizmente, por estarmos tão impregnados por ideologias comunistas, nosso consciente e inconsciente exige um Deus igualitário, que precisa dar tudo na mesma proporção e quantidade para todos. E esse tipo de pensamento é totalmente contra o nosso Deus providente, que nos dá muito mais do que merecemos. 

A pobreza evangélica é diferente. É sobre o desapego de si mesmo, alguém que não deseja nada além de cumprir aquilo que precisa ser feito, que não se importa com os bens finitos, não murmura do sol ou da chuva e não se desespera quando perde o controle da situação. Enfim, esse é um verdadeiro pobre. 

Se santidade dependesse de pobreza material, a maioria da população mundial seria santa e não é isso que vemos hoje, na verdade, é bem ao contrário. 

 

ABANDONO E PROVIDÊNCIA 

 

O pobre não se abandona assim em nada, ninguém quer passar fome, sede ou necessidade. Não! O pobre se abandona em Deus, no grande Eu Sou, o Todo Poderoso. Não é em qualquer um não. 

O Senhor prometeu uma terra que mana leite e mel. Ele promete vida em abundância, não uma vida miserável. Quantas vezes achamos que “viver da providência” é o mesmo que passar necessidade? Está muito errado! 

Maldito o pensamento que nos tira a confiança em Deus, assim como São Paulo, precisamos aprender a viver com muito e com o pouco, o que importa é a Vontade de Deus. 

O tempo atual é o tempo perfeito. É o tempo que precisamos viver, portanto agradeça por ele. Aceite tudo de Jesus, como uma criança recebe um presente de seus pais. Mesmo se for um tempo de escassez, de doença, morte, sofrimento ou dor. As crianças sabem que jamais irão ganhar um brinquedo quebrado, que machuca, fedido ou feio. Elas sempre esperam o melhor, e o Senhor é esse que dá SEMPRE o melhor para nossa santificação. 

 

ORAÇÃO

Ò meu Jesus, como desejaria te amar ao ponto de jamais desconfiar da Sua Bondade. E como Tu não inspiraria desejos irrealizáveis em nossos corações, se for da Sua vontade, me conceda essa graça que tanto Vos peço. Arrancai de mim todo e qualquer tipo de pensamento mundano, que me faz desacreditar, ignorar e me desinteressar da Divina Providência. 

Espírito Santo, Divino Paráclito, convença-me e ensina-me todos esses mistérios para que eu viva a verdadeira pobreza, pois é dos pobres de espírito o Reino dos Céus! 

Amém.

 

Leia mais:

Obedecer e confiar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.