Palavra de Fundador

Ser e parecer que Ser, eis a questão!

By

por Guilherme Maggio –

A paz galera!

Nesta semana, quero partilhar uma reflexão que uma das formadoras de nossa Comunidade partilhou comigo e com nossos formadores… Discutíamos sobre santidade, e sobre autoimagem, e como a preocupação com a própria imagem pode nos mascarar e nos levar a viver uma vida ilusória de aparências. Isso é muito ruim e vai totalmente contra os preceitos de nossa fé!

Óbvio que nos tempos em que vivemos, se queremos evangelizar e atrair multidões para Jesus, precisamos nos preocupar com a imagem e com tudo aquilo que ela transmite ao “espectador”, ou “receptor” dela. Porém ela jamais será mais importante do que aquilo, que de fato, somos interiormente! As mulheres podem se maquiar, se embelezar, pensar na combinação de cores de suas roupas, porém se por dentro estiverem podres, sem conteúdo, ao abrir a boca tudo vai por água abaixo. E isso se aplica a todos, homens e mulheres, e a várias situações e empreitadas que realizamos, e a evangelização e nossa santidade não escapam disso!

Precisamos correr da atitude dos fariseus: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia.” (Mt 23,27). Precisamos almejar a santidade real! Devemos ir até o sangue na luta contra o pecado, como nos diz São Paulo em sua carta aos Hebreus (Heb. 12,4). O interior do eu, aquilo que de fato sou, precisa ser exposto, em uma atitude tão verdadeira, que se assemelhe com a veracidade e liberdade de Cristo. Ele é nosso modelo, e você conhece alguém que foi mais livre e autentico do que Ele? Eu não!

Porém precisamos SER, e parecer que somos! Este parecer é um reflexo natural de uma atitude interna. Porém pode e deve ser amplificado por meios que ajudem a deslumbrar ainda mais a quem queremos atingir com determinada atitude. Queremos ser santos, para nós mesmos, por Deus, por amor a Ele, mas queremos empolgar os outros, para que desejem buscar esta mesma santidade! Devemos ser Jovens Santos e parecer Santos Jovens! Devemos ser pobres e parecer pobres, sermos humildes e parecermos humildes. O exterior a favor da propagação de UM INTERIOR, modificado e moldado por Deus!

Encerro com a frase que esta formadora partilhou conosco hoje!

“Quem só PARECE ser e não é verdadeiramente, se torna uma pessoa vazia e que se preocupa demasiadamente com a imagem, um FARISEU! Quem apenas É e não PARECE SER, acaba se tornando pouco “vendável, atraente”, e atinge um número muito reduzido de pessoas. Então precisamos SER em primeiro lugar, mas também PARECER SER, para que a nossa evangelização seja mais efetiva e eficaz” (Bruna Barbosa Hamrourch)

Fogo de Elias e bora para dentro de nós, reconstruir o SER para só então MOLDAR O PARECER!