Formação, Igreja, Sede Fecundos - Pais e Filhos, Somos Igreja

Pedro, as chaves e o Corona

By

Escrevo este texto em meio ao confinamento por conta do Coronavírus. Em resumo, estamos em isolamento social, saindo apenas para o necessário, usando máscaras e abusando do álcool em gel, pessoas estão morrendo, nossas Igrejas estão fechadas.

Há, portanto, em tudo isso uma evidente carga de sofrimento.

A primeira chave

“O Deus de toda graça, que vos chamou em Cristo à sua eterna glória, depois que tiverdes padecido um pouco, vos aperfeiçoará, vos tornará inabaláveis, vós fortificará” (1 Pe 5, 10).

Pelo título e pela passagem, deu pra ver que vamos de braços dados com Pedro nesta reflexão, né?
Ele vem nos lembrar no versículo acima que, assim que tivermos padecido um pouco, poderemos sair mais fortes, inabaláveis, perfeitos. “Sede perfeitos como vosso Pai celeste é perfeito.” (Mt 5, 4-8).

Não só Pedro, mas todos os santos da nossa Igreja viveram a via do sofrimento e, “pior”, optaram por ela. Ou seja, o sofrimento não deve ser novidade pra mim e pra você. Basta olhar para a cruz e economizaremos linhas e linhas de explicação. O sofrimento e a humilhação devem ser perseguidos por nós para que atinjamos a perfeição, ou seja, a santidade, a salvação. É natural que soframos.

A chave aqui é olhar menos para o sofrimento em si e mais para a oportunidade que este sofrimento nos traz.

A segunda chave

Dias atrás me deparei com essa charge. E é em cima dela que chegamos a outro ponto dessa reflexão.

“Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;
E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” (Mt 16, 18-19 – grifo do autor).

Você já deve ter lido essa passagem várias vezes, assim como eu mas, para mim, homem, esposo, pai de família, em quarentena, ela ganhou nova luz.

Um paralelo revelador

Sabemos que Pedro foi o primeiro Papa, sobre quem Jesus escolheu edificar Sua Igreja. Jesus confiou a Pedro essa santa responsabilidade.
Num paralelo semelhante, sabemos que cada lar onde Cristo é o centro, é uma pequena célula do corpo de Cristo, a “Igreja doméstica”.

Para nós isso deve ser visto com alegria e uma grande oportunidade de nos mantermos unidos a Cristo neste momento de isolamento, através da boa vivência da nossa fé em nossos lares, nossas Igrejas domésticas. E para nós homens, chefes/pais de família é uma grande responsabilidade. Somos sacerdotes de nossos lares.

“porque o marido é o cabeça da esposa, assim como Cristo é o cabeça da Igreja, que é o seu Corpo, do qual Ele é o Salvador.” (Ef 5, 23).

As chaves do Reino dos Céus foram confiadas a Pedro. As chaves de nossos lares foram confiadas a nós.
Homens sacerdotes do lar. Pedro primeiro sacerdote. O que Pedro ligava na terra era ligado no céu. O que cultivarmos em nossos lares pode ligar ou desligar nossa relação com o céu, com nossa santidade, com o próprio Deus. As portas do inferno não prevalecerão. Assim como o demônio não abrirá portas de lares trancados com a chave do Reino.

Meus irmãos e minhas irmãs, é de nossa responsabilidade mantermos nossos lares com a chama do Cristo acesa neste momento.

A terceira chave

Recentemente, assistindo a Santa Missa pela TV, observava o sacrário atrás do altar, e o Senhor me levou a refletir:

O sacrário é um tabernáculo que abriga o Senhor. Quando girada a chave e aberta sua porta, o Senhor vem para fora e, com todo seu esplendor, ilumina e alimenta a todos que os buscam. Se em nossas casas mantivermos a chama do Senhor acesa, se mantida a comunhão espiritual com Jesus, nossos lares são sacrários que abrigam o Senhor. Estamos dentro de casa neste tempo difícil. Nossas chaves mantém nossas portas fechadas assim como muitos sacrários estão fechados em muitas Igrejas hoje. Quando se abrirem estas portas, Jesus virá para fora alimentando e iluminando novamente a todos os que o buscarem. Quando abrirmos nossas portas e sairmos de nossas casas ao final desta pandemia, seremos como o Senhor que sai do sacrário? Levaremos Sua presença viva em nós a todos os que necessitam?

Irmãos, mantenhamos a chama acesa. Logo, chaves serão giradas, sacrários serão reabertos e o Cristo anceia por sair.

 

Deus abençoe você.

Fernando Hamrourch – Discípulo CACL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.