Formação, Palavra de Fundador

Seguir, é coisa de discípulo, ou de curioso?

By

Hoje quero abordar de maneira sucinta e direta, o problema e a graça do “seguir”. Caminho de santidade? Ou, de curiosidade?

No Aurélio…

No dicionário encontramos vários significados, de acordo com o uso gramatical, para o verbo. Vamos ficar com os três primeiros:

  1. Ir ou vir junto ou atrás de; acompanhar: O cão fiel sempre segue seu dono.
  2. Acompanhar em grupo, com a finalidade de proteger; escoltar: Para evitar represálias, os soldados o seguiam por toda a parte.
  3. Deixar-se guiar por: O discípulo segue o mestre.
  4. Vir depois ou atrás de: O inverno segue o outono.
  5. Acompanhar furtivamente, espreitando: O detetive seguiu o tipo suspeito por vários dias.

Nos evangelhos…

Recentemente fiz um estudo exegético sobre a seguinte passagem sinótica:

“Chamando a multidão, juntamente com seus discípulos, disse-lhes: ‘Se alguém quiser vir após mim (seguir), negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois aquele que quiser salvar sua vida a perderá; mas, o que perder sua vida por causa de mim e do Evangelho, a salvará'” (Mc 8,34-35).

Neste estudo, eu e um colega analisamos o mesmo texto nos três evangelhos sinóticos (Marcos, Mateus e Lucas). No texto mais antigo, o verbo hebraico “seguir”, foi traduzido na versão da Bíblia de Jerusalém como “vir após mim”, o que ratifica o primeiro, terceiro e quarto significados do “Aurélio”.

Ou seja, o seguimento de Jesus Cristo e o seu discipulado, pressupõe vir atrás de Cristo, seguindo Seus passos, sermos guiados por Ele e entendendo que a plenitude deste seguimento é a perfeita imitação deste Cristo Salvador que nos chamou. Imitação e seguimento que vão nos formando, nos impactando, imprimindo em nós um caráter específico: o SER CRISTÃO, ou seja, SER OUTRO CRISTO.

Nos dias de hoje…

Entretanto, na contemporaneidade, o verbo seguir está muito mais ligado ao quinto significado listado acima, visto que seguimos artistas, pessoas e usuários de redes sociais que admiramos para acompanharmos os seus atos e suas escolhas.

Talvez, o termo “furtivamente” não se aplique sempre, visto que não é segredo para o seguido quem o segue. Porém, o problema é que seguimos pessoas que muitas vezes nos decepcionam e esta decepção nos leva a cometer vários pecados. Fofoca, inveja, desprezo, julgamento injusto, falta de misericórdia e assim vai.

Não estou falando do que vejo, estou falando do que vivo. Deixei de seguir várias pessoas porque elas mais estavam me atrapalhando do que me ajudando. Mais me levando ao pecado do que à santificação. Tá certo que algumas vezes o que vemos ou ouvimos nos ajudam a não cair nos mesmos erros, mas temos que ter cuidado, porque se aprende na primeira ou na segunda vez, na terceira já é curiosidade desnecessária que pode levantar em nós dúvidas sobre nossas convicções de santidade. Quando achamos que não, Satanás já entrou!

Quem devo seguir?

Já disse isso a alguns irmãos e agora digo a todos: Vale a pena seguir a todos que você segue? Será que isso não está te atrapalhando no seguimento de Jesus Cristo? Que tal fazermos uma limpa em nossas mídias e contatos de modo que consigamos ser mais santos e nos distrair menos com as futilidades que são postadas por aí?

É melhor entrar no Reino dos Céus sem mídias sociais, sendo alguém menos popular, do que viver antenado e só ser popular no inferno!

#Ficaadica: Popular, só se for pela santidade, o resto é enganação demoníaca!

Fogo de Elias
Guilherme Maggio da Silva (Fundador)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.