É Fogo

Namorados abertos à vida

By

Como namorar e ser aberto à vida sem transar?
Parece até um trocadilho, mas a verdade é que todos nós devemos estar abertos à vida, independente do nosso estado de vida.

Gestantes independentes do estado de vida

Os celibatários, abertos à vida espiritual, que geram na própria intimidade com Jesus, e por sua alma esposa, assumindo a paternidade/maternidade de outras almas.

Os padres também abertos à vida espiritual, à vida de um povo e da Igreja.

Cada sacerdote reaviva a vida de toda a Igreja que permanece fecunda há 2000 anos. Sem sacerdotes fecundos, a morte imperaria e a vida não existiria.

Os casados abertos em sua vida conjugal, e devem receber todos os filhos que Deus os confiar, assumindo perante à vida de cada um a paternidade/maternidade biológica e, também, espiritual. E é nesse ponto que os namorados entram.

O namoro vai acabar

O namoro foi feito para acabar, sendo ele a preparação para o matrimônio, seu objetivo é acabar no altar ou antes de chegar nele por outros motivos.

“Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele fica só. Mas, se morre, produz muito fruto.” (Jo 12,24)

É exatamente o que esse evangelho nos diz, que precisa acontecer.

O tempo de namoro é um tempo de morte, nesse tempo são necessárias muitas e muitas conversas do casal, partilha de sonhos, medos, receios, alegrias, sobre filhos, e nessas conversas muitas vezes será necessário abrir mão de alguns sonhos para sonhar juntos, de algumas vontades para ter um relacionamento saudável.

Existe morte para gerar vida, e a vida aqui no caso é uma vocação.

O fruto da morte é fecundidade

Um namoro com sucesso é um namoro que tem fim e tem mortes, ninguém nasceu para namorar para sempre.

Então já fica a dica: se você está enrolando há muito tempo no seu namoro, cria vergonha na cara e casa logo, ou até, reveja se quer casar com essa pessoa mesmo e se está na vocação certa.

O casal é fecundo quando está disposto a morrer muitas vezes para produzir frutos, sejam eles juntos ou não.

O namoro é tempo de abertura de vida, então se você entender que não é da vontade de Deus estarem mais juntos, deixa o trigo morrer para que os frutos aconteçam.

Já se você entender que é para vocês ficarem juntos, da mesma forma, se abram à vida que os dois construirão juntos, com a participação dos dois e, para isso, você precisará deixar morrer muitas coisas que fazia sozinha, para a vida dos dois acontecer.

Só é possível com a castidade

Para viver tudo isso no namoro e ser aberto à vida, só é possível vivendo a castidade.

A castidade nos ajuda a morrer para nós mesmos, e nos ajuda viver esses movimentos. Além disso, casais que vivem a castidade conversam mais, partilham, rezam juntos.

Viver a castidade é o primeiro passo para morrer pelo outro. Se você não dá esse, será muito difícil dar os outros.

LEIA TAMBÉM: http://blog.cristolibertador.com/castidade-nao-e-falta-de-desejo/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.