É Fogo

Continuamos perdendo o lugar no jardim

By

No jardim é o nosso lugar

Jardim é o lugar da criação e o lugar da ressurreição.
Jardim foi prisão,
Mas é hoje libertação.
Maria Madalena a primeira testemunha da ressurreição.
Em sua vida, mostra a eleição, libertação, restituição.

Não sei se você já ouviu aquela música “Quero conhecer Jesus”. Se você não ouviu, já te indico aqui embaixo.

Em uma parte dessa música ela diz: “Meu orgulho me tirou do jardim, Tua humildade colocou o jardim em mim”.

E é verdade.

O orgulho não tirou só Adão e Eva do jardim. Esse jardim já perdemos mesmo, já era, não dá para voltar atrás.

Porém, o orgulho continua nos tirando do jardim, do jardim da ressurreição. É esse que ganhamos e que continuamos a perder.

Ganhamos o jardim de volta

Jesus ressuscitado aparece em um jardim, sua humildade o colocou ali. Isto é, sua cruz, suas humilhações, seu silêncio, seu martírio.

Jesus devolve o jardim para nós, devolve a felicidade gloriosa em sua presença gloriosa.

Quando Ele ressuscita, tudo que tinha na Paixão vem infinitamente melhor e maior.

A pobreza se transforma em realeza; as feridas em seu corpo, em cura e corpo glorioso; a morte cruel que o assolou, em uma vida eterna; a profunda tristeza em alegria e paz eterna e, assim, glórias cantam os anjos e Santos.

O jardim é precioso

O jardim é precioso da criação até a ressurreição.

O jardim é valioso pra Deus, Ele o criou. E mesmo que pelo pecado original, cometido por um homem, tenhamos o perdido, Deus, por um homem também, nos redime e nos dá a oportunidade de estar nesse jardim novamente.

Ele criou e recriou.

Ele deu uma vez para nós, e nos deu mais uma chance.

E aí que me vem o questionamento: o quanto o jardim é importante para mim?

Um mestre jardineiro

“Mulher, por que choras? A quem procuras? Pensando ser o jardineiro, ela lhe diz: Senhor, se foste tu que o levaste, dize-me onde puseste e eu o irei buscar.” (Jo 20, 11-15)

Um mestre que se confunde com um jardineiro, um jardineiro que é o mestre.

Nesse jardim ele é o mestre mas, mais ainda, o jardineiro.

Com Sua humildade (sua paixão), Ele reconquista tudo. A visão que Deus me dá nesse momento é de um jardim abandonado, já com o mato alto, sem dar frutos, sem solo fértil, sem vida…
Ele, jardineiro, reconstrói tudo, aduba o solo, planta novamente, dá frutos. É isso que a humildade nos dá: a oportunidade de estar nesse jardim com Jesus fazendo esse processo.

Maria Madalena o chama de jardineiro e mestre e, nesse jardim, realmente Ele é O jardineiro e O mestre.

Maria Madalena é testemunha

Maria Madalena é exemplo vivo, uma mulher que já tinha perdido o jardim, encontrou-se com Jesus, se humilhou e participou com Ele de sua humilhação.

E, por fim, o mestre jardineiro aparece a ela como mostrando: “esse jardim é seu Maria”.

“Diz-lhe Jesus: ‘Maria!’ Voltando-se, ela lhe diz em hebraico: Rabbuni.” (Jo 20,16)

Quando é dito Maria, Jesus traz o jardim de volta para ela. É nesse momento que Sua humildade coloca o jardim de novo nela, em mim e em você.

A humildade faz com que Jesus me reconheça pelo nome e me chame e, quando Ele me chama, eu reconheço que é o meu mestre.

Se Maria vendesse tudo que tivesse em troca do Amor, em troca desse jardim, ela falharia, não seria o suficiente.

Só basta ser humilde, esperar e amar.

Ele é mestre e jardineiro e nos devolveu o jardim em sua glória.

Para Maria Madalena:

Ó Maria Madalena, quanto amor e zelo sai de ti para o nosso mestre, quanta disposição e entrega.

Maria, em simples palavra que ele te chama, e é possível sentir tamanho ato de amor e restituição.

O jardim é nosso Maria! Interceda por mim minha amiga, para que nesse jardim que já conquistaste junto ao Senhor, eu também tenha parte.

Te admiro pela mulher que és! Te admiro pela mulher que o Senhor vê em Ti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.