Blog

Castidade: Deus quer, você consegue!

By

“Castidade: Deus quer, você consegue” por muito tempo foi um grande slogan da Comunidade Canção Nova para alcançar jovens e adolescentes que participavam dos Acampamentos PHN ou que de alguma forma eram atingidos pelo carisma da Comunidade fundada pelo grande e santo Monsenhor Jonas Abib.

Lembrança

Fazia tempo que eu não ouvia essa frase que realmente nos deixa impactados. Foi na formação humana da CACL, ministrada pela psicóloga Georgia Moura (fundadora do Instituto Findway) que a ouvimos novamente.

E é uma realidade: Deus quer seus filhos CASTOS, PUROS, ÍNTEGROS! Não dá pra se dizer filho de Deus se não queremos nos assemelhar a Ele e aos seus santos de forma especial no que diz respeito à pureza.

Deus quer

Ele sempre vai querer! “Felizes os puros de coração porque verão a Deus”, nos lembra as bem-aventuranças proferidas por Jesus sob o Monte. Ser casto vai além de não transar ou de não se masturbar, ou ainda, de não assistir conteúdo pornográfico.

A Castidade começa no coração, lugar onde em nós Deus habita. Ali é necessário haver um desejo de ter uma vida pura, imersa na vontade de Deus, desejosa das coisas do Alto. E isso configura um coração puro: não foi manchado, mas se foi, passou pelo mais poderoso dos alvejantes: o sangue do Cordeiro Puro e Sem Mancha e assim quer se manter.

Você consegue!

Claro, não dá pra ser IMACULADO, porque essa é uma característica apenas da Virgem Maria, a Imaculada Conceição. Mas dá pra se assemelhar a Ela e ao seu Filho Jesus, colocando-se à disposição do Reino que foi preparado para aqueles que desejam voltar à originalidade do projeto de Deus, sendo cada vez mais parecido com Ele, com a consciência de que foi criado à imagem e semelhança do que é Toda Perfeição.

Agora é importante dizer: apesar da castidade não parar na genitalidade, é expressamente necessário fugir das ocasiões onde os hormônios possam se esquentar e assim, você sair da graça de Deus.

Fuja, porque nesse caso, fugir é para os fortes ou para os que no mínimo querem lutar para viverem de forma pura o relacionamento que Deus providenciar, para que no casamento seja “mais fácil” viver santamente a sexualidade em sua totalidade: livre da masturbação e da pornografia, olhando pro sexo como projeto unitivo e procriativo de Deus para expansão do Reino e amor dos cônjuges.

Medida extrema!

Um amigo muito querido lutou por bastante tempo contra o vício da masturbação, por exemplo. Ele sabia que trancar-se em seu quarto era motivo de queda no pecado. O que ele fez? Arrancou a porta!

Foi uma medida extrema? Foi! Mas foi necessária.

São Francisco de Assis, por exemplo, ao sentir-se tentado, jogou-se numa roseira para fugir do pecado e das suas conseqüências.

O padre Paulo Ricardo sempre fala: faça algo para que o pensamente pecaminoso (ou até mesmo ‘inocente’) não vá até o seu coração e se transforme em ato egoísta ou ainda em pecado conjunto. Corte o mau pela raiz!

O padre nos dá uma dica: ao ver algo que lhe atiça ou ouvir algo que lhe excite, logo povoe sua mente com o desejo de santidade e diga: “Jesus e Maria, eu vos amo, salvai minha alma”.

Em casos extremos, faço a experiência de pedir a ajuda do grande pai da castidade, São José e lhe rogo dizendo: “São José, nas vossas maiores aflições e tribulações, o anjo não vos valeu? Valei-me, São José!”.

Na Teologia do Corpo

(TdC, 56) – “A pureza entendida como capacidade, é precisamente expressão e fruto da vida ‘segundo o Espírito’ no pleno significado da expressão, ou seja, como nova capacidade do ser humano, no qual frutifica o dom do Espírito Santo. Estas duas dimensões da pureza – a dimensão moral, ou seja a virtude, e a dimensão carismática, ou seja o dom do Espírito Santo – estão presentes e estreitamente ligadas na mensagem de São Paulo. Isto é posto em particular relevo pelo Apóstolo na primeira Carta aos Coríntios, em que ele chama ao corpo de TEMPLO (por conseguinte: morada e santuário) do Espírito Santo”.

E continua:

“Tais pecados (os da Carne) trazem consigo a profanação do corpo: privam o corpo da mulher ou do homem de o respeito a ele devido em virtude da dignidade da pessoa. São Paulo vai ainda mais além: segundo ele, o pecado contra o corpo é também PROFANAÇÃO DO TEMPLO”.

Traduzindo:

Não existe castidade (genitalidade e pureza de coração) sem a ação do Espírito Santo e sem vida de oração e intimidade com aquele que pode purificar o mais impuro dos corações!

Castidade: Deus quer, nos ajuda, faz a parte dEle!
Castidade: Você consegue, mas não sozinho!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.