Arte e Cultura, Eu Sou Cultura

Bird Box e nossas mazelas

By

(CONTÉM LEVES SPOILERS)

Recentemente, assisti ao filme chamado Bird Box (Caixa de Pássaros). O filme se passa em um cenário apocalíptico no qual as pessoas, ao verem algo (evento inexplicável), são tomadas por uma insanidade que as leva ao suicídio de uma forma bizarra.

Os únicos imunes são os cegos e os loucos. E mesmo estes não são totalmente imunes. Eles não se matam, porém, saem pela cidade a serviço dessa coisa maligna obrigando as pessoas a olharem.

Resumindo, o único lugar seguro para os que enxergam é dentro de casa, com todas as janelas fechadas ou tapadas. Para ir à rua, elas precisam estar vendadas para sobreviver.

NOSSAS MAZELAS

O filme era legal, assisti e, até então, não senti nada. Logo em seguida, em uma ocasião de pecado que vivi, comecei a olhar para dentro de mim e enxerguei o emaranhado de raízes que existem aqui dentro. Todas as negações, recalques, frustrações e toda a sujeira que joguei para debaixo do tapete (ou pelo menos uma parte dela), eu pude acessar. E cara, como esse troço dói. Imediatamente “linkei” ao filme e vi que “a Coisa” que deixa as pessoas atormentadas pode ser nossas próprias mazelas.

É bem mais fácil ficarmos “em segurança” dentro de nossas casas ou até mesmo vendados. O desafio é tirar a venda e sair da casinha para olhar de frente toda essa podridão que está em nós. Viver uma vida inteira trancados em nós mesmos, sem poder sair e viver a liberdade que Cristo nos deu por pura graça e, a um preço tão alto, é muito pouco. Precisamos estar dispostos a enxergar essas mazelas e enfrentá-las.

TIRAR A VENDA OU FICAR VENDADO?

O primeiro passo para o processo de cura é a identificação do problema. Seja ele um pecado, um medo, um mecanismo de defesa (prejudicial, é claro!) ou um vício. Seja o que for, temos que conhecer esse problema.

Assim que reconhecemos o problema, podemos escolher viver com ele e passar a vida inteira vendados, sendo impedidos de sermos verdadeiramente livres, ou enfrentá-lo.

Se sua escolha é ficar na casinha segura, sem olhar para fora (ou para dentro de si) eu te entendo e te respeito, afinal é mais cômodo. Mas não concordo com sua escolha!

Se você já está se sentindo um “Rocky Balboa”, pronto para subir no ringue (sair da casinha, olhar para dentro de si, arrancar suas vendas) e apanhar muito, sofrer, passar por dores causadas por si mesmo e, além disso, combater ações do demônio, saiba que estamos juntos!

O CAMINHO: TENHO DUAS NOTÍCIAS

A má notícia é que eu não sei te dizer a fórmula secreta ou um atalho a seguir. Eu ainda não cheguei lá, estou no caminho, arrancando minhas vendas e saindo para encarar a coisa horrorosa que mexe e mata as pessoas.

A boa notícia é que, apesar de não saber a fórmula, eu conheço o caminho. Mesmo ainda precisando e desejando conhecer mais, eu já o trilho. Esse caminho que lhes convido é o Cristo. Através do Espírito Santo temos a oportunidade de tirar as vendas, encarar a verdade e vencer a criatura horripilante, nos tornando livres como Deus nos sonhou.

Outra boa notícia é que os Santos sabem os melhores locais da estrada, as partes menos esburacadas, como lidar em locais de difícil acesso… eles já venceram. Usemos e abusemos dessa graça!

Lutador(a), estamos juntos nessa batalha, Deus nos abençoe e nos capacite.

Vamos à luta!

Vinicius Tersariolli – Discípulo CACL

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.