Formação, Sede Fecundos - Pais e Filhos

A cara do pai!

By

“- Ah, mas é a cara do pai!”
“- Nossa, tem o narizinho do papai!”
“- Que lindo! Ele tem o olhar do pai dele”

“Se um filho pedir um pão, qual o pai entre vós que lhe dará uma pedra? Se ele pedir um peixe, acaso lhe dará uma serpente? Ou se lhe pedir um ovo, dar-lhe-á porventura um escorpião? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai celestial dará o Espírito Santo aos que lho pedirem” (Lc 11, 11-13)

É à luz dessa passagem que inicio essa partilha a respeito do papel do pai no seio de sua família.

Você certamente já se deparou, ou fez este tipo de afirmações como as do início do texto, quando viu uma criança. Mas, e o caráter, os bons costumes, o respeito, as práticas cristãs… esses são iguais aos do papai?

O pai, o homem, é a estabilidade, o ponto de apoio, a firmeza e proteção de um lar. É ele quem dá a segurança à sua casa, seus filhos, sua esposa. E, acima de tudo, o exemplo!

Se o pai…

Por isso, se um pai conversa com seus filhos, estes buscarão o diálogo como solução para seus conflitos. Se um pai respeita aqueles que o cercam, seus filhos certamente serão respeitosos com ele mesmo e com todos a seu redor. Se um pai demonstra segurança, seus filhos crescerão confiantes. E por aí vai.

A presença masculina do pai é essencial na vida de seus filhos. Sua ausência, principalmente em fases decisivas do desenvolvimento dos filhos (como a infância), pode trazer consequências desastrosas aos filhos mais tarde. Dificuldade de amadurecimento, insegurança, sensação de abandono, depressão… todos estes problemas são alguns poucos exemplos do que uma paternidade ausente ou falha pode causar.

Figura de Deus

Fora a parte psicológica do desenvolvimento, existe a parte espiritual que, para nós cristãos católicos é ainda mais decisiva.

O Professor Felipe Aquino, em um de seus escritos, observa muito bem: “O pai é o primeiro modelo que os filhos têm do próprio Deus, pois Ele é Pai”. Ou seja, o pai tem o papel importantíssimo de ser reflexo do Senhor em seu lar. Seu exemplo é o primeiro Evangelho com o qual seus filhos terão contato. Ele os mostrará primeiro o amor de um pai, para que depois eles reconheçam O Amor que é o próprio Deus, quando este tocar seus corações.

Seja Pai!

Pai, seja presente na vida de seus pequenos. Brinque, converse, ajude nas lições, ensine, corrija, mostre o caminho, forme, eduque, jogue bola, seja amigo, divida, mostre direitos e deveres… seja pai! Somente quem está junto pode ser referência e exemplo. Somente quem está junto é lembrado. O amor requer proximidade e intimidade. Exerça sua filiação a Deus e a paternidade que o próprio Deus o ensina.

“Vede, os filhos são um dom de Deus: é uma recompensa o fruto das entranhas. Tais como as flechas nas mãos do guerreiro, assim são os filhos gerados na juventude. Feliz o homem que assim encheu sua aljava: não será confundido quando defender a sua causa contra seus inimigos à porta da cidade” (Salmo 126, 3-5)

Fernando Ribeiro Hamrourch
Discípulo da CACL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.